sexta-feira, março 25, 2005

De partida

Sou óptima a fazer malas. Normalmente, em cerca de meia hora, sou capaz de empacotar tudo o que faz falta, muito arrumadinho, dentro de uma mala, ou duas, o que for necessário. Regra geral, nao me esqueço de nada importante. É o resultado de anos de prática.
Há uns dez anos atrás, talvez um pouco menos, fui com uns amigos para umas mini-férias no Algarve. O encontro na estaçao de comboio, à partida, foi uma galhofa. Nao me lembro se os rapazes levavam muitas ou poucas coisas. O contraste era entre a minha mala, e a mala da minha amiga. Ela levava, no mínimo, o dobro das coisas que eu levava. Fartei-me de a gozar. Só íamos por uns 5 dias, nao por 15. Era páscoa, e o tempo estaria bom, pelo que nao eram precisas camisolas grossas, nem grandes agasalhos. Eu pura e simplesmente nao conseguia perceber porque é que ela precisava de tanta coisa. Felizmente a minha amiga nao levou a mal a minha brincadeira (sim, ainda somos amigas). E, pouco tempo depois, provou que nao só ela precisava mesmo de tudo o que levava na mala (principalmente roupa), como me fez engolir as minhas palavras e acabou por ser a ela a gozar comigo.
Passo a explicar. A minha amiga é uma rapariga previdente. Como tal, empacotou roupa para usar na praia, roupa para sair à noite, maquilhagem para todas as ocasioes, e ainda sapatos para sair e para ir à praia. Provavelmente ainda tinha mais coisas que eu agora nao me lembro. O que recordo, como se fosse hoje, é que eu, na altura, nao era assim tao previdente. Eu achava que umas calças de ganga tanto davam para a praia como para a discoteca ou para o supermercado. Que nao havia diferenças de utilizaçao entre uma t-shirt ou uma camisola preta de manga (que eu nem tinha levado). Que tanto dava com que roupa eu ia sair à noite. Claro que eu estava enganada. Tao enganada que acabei por usar alguma roupa da minha amiga. Divertimo-nos imenso a preparar o look da noite: roupa, maquilhagem (que eu nao tinha...), penteado... Ela até tinha um "objecto" que parecia rímel, mas mais grosso, com qualquer coisa de cor azul, que se punha no cabelo... Foi divertidíssimo. Ainda hoje a minha amiga se lembra disto, e goza comigo, que comecei por fazer pouco dela e no fim acabei por lhe pedir as coisas emprestadas (viva a minha amiga!). E eu, cada vez que faço as malas, lembro-me dela, porque nunca mais voltei a viajar tao leve. ;)
Resumindo e concluindo: acabo de fazer as malas. Levo umas 50 camisolas (t-shirts, camisolas de manga comprida, casacos), para usar durante uma semana. Eu sei que provavelmente nao vou usar a maioria das coisas que levo. Mas ao menos nao me vao fazer falta.




Vou estar ausente deste vício por uns dias. Até ao meu regresso, as minhas tarefas irao consistir em apanhar pedras, tirar fotos, e admirar paisagens. Nem mail, nem internet.
1 comentário(s)

Ovos




Finalmente comprei um pacote de amêndoas de chocolate. Cá em casa ninguém quer partilhar. Mesmo assim, só já sobra metade.
1 comentário(s)

quinta-feira, março 24, 2005

Nomes

A propósito da saga do nome verdadeiro da Pollie (eu sei qual é mas nao digo! :P), o Tiago "mandou-me" o link dos nomes admitidos pelos registo civil português.
Entretanto fui ver a lista dos nomes nao admitidos (muito mais interessante... ou talvez nao), e encontrei diversos nomes de pessoas que conheci ou de quem ouvi falar ao longo da vida, cujos nomes fazem parte dessa lista (dos nao admitidos). E isto, vendo só algumas das primeiras e últimas páginas, que a lista tem 41 no total e eu tenho mais que fazer:

.Adamastor (ok, este nao conta, só o conheci nos Lusíadas)
.Adorinda
.Alfredina
.Cacilda
.Victor (este nao dá para acreditar)

E agora, que é que estas pessoas têm que fazer? Ir reclamar? Pedir para mudar de nome? Ou exigir que os seus nomes passem para a lista dos nomes admitidos?
3 comentário(s)

Relógios

Desde que acabei o curso que nao uso relógio. Gosto da sensaçao de liberdade que me traz, o olhar para o pulso e vê-lo desnudado. Mais do que isso, gosto da liberdade de nao saber as horas, o que para mim significa que nao preciso de saber que horas sao. Nao é que a minha vida seja mesmo assim. Há alturas em que tenho mesmo que estar em qualquer lado a uma hora certa, e aí regulo-me pelos relógios disponíveis - o do telefone, o das estaçoes de comboios, os das torres.
Quando tinha aulas, o relógio era um instrumento indispensável. Era importantíssimo saber quantos minutos faltavam para o fim da aula. Houve uns tempos em que o meu relógio ficou sem pilha, e enquanto nao a substituí (o que levou imenso tempo), especializei-me em ver as horas nos relógios dos outros. Ora no relógio do colega do lado, ora nos parquímetros, ora, em situçao de desespero, no relógio de automóveis estacionados. Imagino que algumas pessoas olhassem para mim com ar desconfiado quando eu tentava espreitar para o interior de um automóvel, sem saber que os meus motivos eram perfeitamente inocentes.
Há uns anos, só me podia dar ao luxo de nao usar relógio no verao. Deve ser por isso que gosto tanto de andar sem ele. Mas - e agora a contradiçao - adoro relógios. Gosto de relógios de todas as cores e feitios: transparentes, brancos, vermelhos, amarelos, cor de laranja, cor de rosa, azuis, pretos, com flores, com animais, ou com desenhos coloridos. Gosto de relógios de mergulhador, muito grossos, gosto de relógios com braceletes muito fininhas, gosto de relógios com ponteiros e sem ponteiros, com números e sem números. Por isso, cada vez que encontro uma pechincha, custa-me se nao trouxer para casa mais um. E nao trago mesmo, porque a minha parte racional diz-me que eu nao o vou usar, e por isso nada de desperdiçar euros. Mas fico sempre a admirar os relógios nas montras.



3 comentário(s)

quarta-feira, março 23, 2005

Como tirar a foto perfeita

Precisas de uma foto para o bilhete de identidade/carta de conduçao/outra coisa qualquer? Ficas sempre com ar de quem acabou de sair do manicómio? Achas o fotógrafo tao feio que fazes sempre cara de susto? Nao desesperes... Para tirar a foto perfeita, desenvolvi um método sofisticado, e infalível.

Materiais:
- uma máquina fotográfica digital
- um espelho
- uma parede de cor uniforme, de preferência nao muito escura (cores preferidas: branco, creme, cinzento claro)
- opcional: alguém disposto a tirar a(s) foto(s), pode ser dispensado se a máquina tiver temporizador (claro que tem!)

Procedimento:
1. Uns dias antes do grande evento, cortar o cabelo. Pode ser muito pouco, só para ficar com as pontas certas.
2. No dia da foto, lavar o cabelo, secar e pentear.
3. Pôr um niquinho de maquilhagem, antes de tirar as fotos. Nada de extravagante, só um bocadinho para realçar os olhos e os lábios ficarem com mais côr. Isto também é válido para os homens, lembrem-se que na televisao toda a gente usa maquilhagem.
4. Não segurar a melena atrás da orelha. Fica mal nas fotos. O cabelo solto fica sempre melhor.
5. (A parte realmente importante): colocar uma cadeira em frente à parede que se quer que fique como background da foto. Em frente, deve estar a pessoa que vai tirar a foto, de máquina em punho. O espelho deve estar estrategicamente colocado atrás da pessoa que vai tirar a foto, ou ao lado num posiçao estratégica. O objectivo de usar o espelho é poder treinar a "cara" que se vai fazer instantes antes de tirar a foto. O ideal seria poder ver o que a/o fotógrafa/o vê (o écran da máq. fotográfica).

Ao fim de meia dúzia de tentativas devem-se ter obtido umas 5 fotos fantásticas. O difícil vai ser escolher!!! :)
3 comentário(s)

Matar saudades

Eu já estou farta de falar de comida... prometo que vai ser a última vez, até à próxima!
Ontem passei na loja portuguesa (obrigada, re), comprei dois pasteis de nata (comi-os antes de chegar ao comboio ao vir para casa), e ainda um bacalhau à brás congelado. Que bem que me soube o jantar!!!
1 comentário(s)

Água

Porque ontem foi o dia internacional da água, porque hoje me apetece ajudar pessoas!
Indo a este site, podemos ajudar a população da Etiópia a ter acesso a água potável. Um clique todos os dias vai ajudá-los.
3 comentário(s)

Descaramento

No público (link):
Ministros de Santana adjudicam sistema de comunicações três dias após as eleições - O ex-ministro da Administração Interna, Daniel Sanches, assinou um despacho conjunto com o responsável pela pasta das Finanças, Bagão Félix, três dias após as eleições legislativas, adjudicando um sistema de comunicações, no valor de mais de 500 milhões de euros, a um consórcio liderado pela Sociedade Lusa de Negócios (SLN), uma holding para a qual o próprio Daniel Sanches trabalhou, antes de integrar o Governo de Santana Lopes.
Manuel Dias Loureiro, deputado do PSD e presidente da mesa do congresso, também está ligado a este grupo como administrador não executivo. O ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais de Cavaco Silva, Oliveira e Costa é o presidente da SLN.


Ou seja, como sabiam que o tacho se ia acabar por largos anos, trataram de assegurar outros negócios/tachos. E agora, com o contrato assinado, como é que o novo governo descalça a bota? E estes senhores tachistas, não só escapam impunemente, mas ainda se ficam a rir, pois o contrato foi assinado, agora é só meter o dinheiro ao bolso? O povo nem pestaneja...
0 comentário(s)

terça-feira, março 22, 2005

Comida... mais uma vez

Isto era para ser uma resposta ao comentário do "re", ali em baixo, mas acabou por ficar tao grande (eu tenho este hábito de me entusiasmar quando "falo"), que achei melhor fazer um novo post:

O que comer e onde comer, em Munique



O meu prato alemao preferido é Wiener Schnitzel (panado de porco) com batatas fritas, de preferência com molho de "Himbeere" (framboesa, acho). Mas "Halbes Hänchen" (meio frango, supostamente grelhado mas que na realidade é meio cozido, se tivermos sorte, e depois levemente grelhado), normalmente com "Kartofelsalat", também marcha. Uma "especialidade" sao as "spare ribs" (sim, em inglês), mas eu nao gosto, por causa do molho que poem (barbecue).
A minha comida preferida para depois do ski costuma ser "currywurst mit pommes" (uma salsicha vermelha com ketchup e um bocado de caril em cima, com batatas fritas).
Na altura do frio (Natal e nao só), gosto de comer umas salsichas vermelhas (outras, acho eu, mas para mim elas sao demasiado parecidas) no pao, que se vendem, nas barracas em Karlsplatz (a Sta Catarina cá do sítio), por exemplo, mas nao sei como se chamam. Já ouvi diversos nomes, sendo um deles "Räuberwurst", mas dessa vez achei que o empregado estava a gozar comigo (Räuber=ladrao, Wurst=salsicha).
Restaurantes alemaes... bem, eu costumo evitá-los, gosto mais dos italianos, do português e de um chinês onde costumo ir... Mas posso recomendar, pela piada, a Hofbräuhaus (pelos turistas e por ter o ambiente mais parecido com a Oktoberfest durante todo o ano). Há ainda outro clássico: o Löwenbräu, em Brienner str. (às vezes também têm lá eventos, como a feira esotérica). No Verao, os Biergartens (jardins de cerveja), em especial gosto de um que fica ao lado do jardim botânico antigo, porque tem bastante mais sol que o normal. Os alemaes gostam de ir para os biergartens quando fica sol, mas depois poem-se à sombra... Alguns destes locais têm tantas árvores gigantescas que ficam quase totalmente à sombra durante a maior parte do dia.
Nesse mesmo sítio tem um restaurante (nao sei bem se alemao ou outra coisa), acho que se chama Parkkaffee, com um ambiente engraçado (e uma boa esplanada quando está bom tempo).

E por falar em Biergartens, nestes jardins, onde há bancos e mesas com fartura, podemos trazer a comida de casa, apenas é obrigatório comprar as bebidas. A maioria das pessoas nao o faz, mas por vezes é prático!

A coisa que os alemaes têm mais parecida com chouriço é o "salami". Nao só soa mal, como nao é verdadeiramente chouriço. Mas têm salsichas de todo o género e feitio, incluindo a famosa weisswurst (salsicha branca), que, ao contrário do que alguns turistas pensam, nao é para comer com pele!!!

Acabo de me lembrar de mais um restaurante especial, só nao me lembro do nome... Talvez seja "potato house", fica em Marienplatz e a especialidade sao batatas, feitas segundo diversas receitas europeias. Até tem bebidas feitas à base de batata. Nao é a cozinha alema típica, mas é muito bom (isto soa exactamente ao contrário do que o que eu penso).

(outro post sobre os alemaes e a comida, aqui)
3 comentário(s)

Como conduzir a alta velocidade...

...e nao ter problemas com a polícia:


1.) Prender os baloes à traseira do automóvel, como na figura abaixo
2.) Conduzir à máxima velocidade possível
3.) Reparar no medo espelhado nas caras dos outros automobilistas
4.) Dizer à polícia que pensavas que eram verdadeiros...

1 comentário(s)

Seinfeld

Série 4 em DVD, a partir de 13 de Junho.

Amazon.de: 55 euros (UK import)
Amazon.co.uk: 24,99£

Porquê???
0 comentário(s)

Pastéis de nata

Quem tem um café à porta que venda esta delícia pode passar este post à frente. Só o estou a escrever porque o blogger não me está a deixar comentar o meu próprio post, ali em baixo...

Eu costumo fazer esta receita, mas vi esta agora que me parece ter bom aspecto...

Em relaçao à "minha" receita: corto sempre 10% no açúcar, por ter notado que com a quantidade indicada fica doce demais. Quanto à massa folhada, para a próxima vez vou experimentar pôr menos manteiga, que desta vez foi claramente um exagero. Aliás, na segunda receita (esta) a massa folhada leva menos manteiga, por isso devo estar no bom caminho...;)
Continuo sem saber o que é manteiga/margarina de pastelaria/para massa folhada, mas supoho que não seja grave...

Fazer comida é mesmo uma ciência. É por isso que normalmente fujo da cozinha, já não basta o trabalho que dá, ainda para mais depois fica tudo muito sujo. Mas quando tenho vontade de comer alguma coisa especial, lá vou eu cheia de entusiasmo (e água na boca). Só que até atingir a perfeição é preciso muitas tentativas e erros... por isso, nunca faço uma receita "inteira" antes de ter atingido a tal perfeição. O único problema é que quando penso que já sei, alguma coisa corre mal.

[couve flor: sugiro que comeces por fazer o creme, que é muito fácil. Podes comprar a massa folhada no HL/minimal, que é boa. E quando estiveres com a pujança toda, experimenta fazer a massa. não é difícil, mas deixa a cozinha toda num estado...]
3 comentário(s)

segunda-feira, março 21, 2005

Bolos

Já experimentaram fazer pastéis de nata? Sim, aquele bolinho pequenino com um creme amarelo dentro, feito de massa folhada, que sabe muito, mas mesmo muito bem com um cafezinho a acompanhar...
Nada mais fácil.
Primeiro, procura-se uma receita na internet. Nada mais fácil, só é preciso ter cuidado porque alguns aldraboes nao usam natas... Onde é que já se viram natas sem natas? (Por acaso até nem eram más de todo, mas not the real thing...)
A receita tem duas partes. A primeira parte ensina a fazer a massa folhada. A segunda parte ensina a fazer o creme. Ora massa folhada pode-se comprar congelada, pelo que podemos passar esta parte à frente. O creme é muito fácil de fazer, só leva natas, açúcar, gemas de ovos e duas colheres de farinha maizena. Bem, por aqui a maizena é como uma miragem no deserto, há quem diga que já viu, mas eu pessoalmente nao acredito que exista.
Depois de fazer a receita várias vezes, em que o creme saiu milhentas vezes delicioso (se era igual ao original nao sei, nao tenho comparaçao na hora de provar, e por isso a única coisa que posso dizer é que me sabe pela vida), já estamos prontos para experimentar a tarefa hercúlea (dizem) de fazer a nossa própria massa folhada, já que a congelada fica demasiado grossa para o meu gosto. Sim, eu sei que estou a ficar esquisita...
O grande dia chega. A receita tem alguns termos duvidosos, por isso tem que ser interpretada para chegar ao resultado final. A cozinha fica toda branca, nao porque essa era a cor original, mas por causa da farinha espalhada por todo o lado (sabiam que a farinha voa facilmente do sítio onde estiver?). Amassar manteiga é um conceito totalmente novo, e além do mais, esta manteiga normal deve ter algum problema porque a receita falava em manteiga para folhados. Deve ser alguma extravagância, a senhora do supermercado nao fazia ideia do que isso era, e ela de certeza que sabe mais de cozinha do que eu, que até nunca tinha tentado fazer massa folhada. Por isso deve estar tudo bem. E no fim, até corre lindamente. Aquilo que eu fiz, tem um aspecto estranho, mas ao colocar a massa nas formas noto as "folhas" a descolar. Bem, isto promete... Falta agora o toque final: o creme. Esse que eu já tinha feito milhares de vezes e tinha saído sempre tao bem.
Nao sei como nem porquê, o creme saiu diferente. Nao mudei nenhum ingrediente, e nada tinha aspecto ou côr de estragado... A única coisa nova foi o tacho que usei, que nao deixa colar nada ao fundo (o tacho anterior colava tudo, e depois ficava com montes de açúcar caramelizado no creme). O maldito tacho novo, com a mania da perfeiçao, estragou-me as minhas belas natas. Ao menos aprendi (à custa de tentativa e erro) mais uma dica para o creme nao sair demasiado para fora das formas e sujar o forno todo: cozer as natas numa temperatura muito alta, mas com a ventoínha a girar, por forma a que o movimento do ar nao deixe o creme subir demais. Ficaram ou nao com bom aspecto? (sabiam era demasiado a natas... dá para acreditar?)


10 comentário(s)

Eficiência alema

Enviei um envelope A4 para Portugal na sexta, depois do almoço. Acreditam mandei em correio normal e já chegou ao destino? Fantástico...
6 comentário(s)

Estou que nem posso

Estas horas, e ainda não visitei os blogs do costume. Ainda não parei de trabalhar (parar menos de 3 minutos não é considerado parar), e não vejo a hora de acabar com isto. Hoje de manhã tinha uma prenda à espera: mais trabalho, para compensar o que não fiz na sexta (até aqui tudo bem, é justo). Ai que nunca mais é sábado!!!

(Os posts seguem dentro de momentos. Vou mudar a velocidade para turbo-lunatic-mode.)
2 comentário(s)

domingo, março 20, 2005

Dia do pai

Se nao fosse a blogoesfera, tinha-me passado ao lado. Desta vez safei-me! :) E acho que o meu pai ficou contente por lhe ter simplesmente telefonado a mandar um beijinho.
O dia do pai por cá celebra-se noutra altura. Lá par Maio, ou Junho, nem sei bem. Calha num feriado móvel qualquer provavelmente um daqueles que eu nao sei o equivalente em português.

(Pois, sou péssima com datas. Lembro-me de muito poucos aniversários, e quase nenhuns "dias de...". Felizmente, os amigos e a família costumam perdoar-me...)
2 comentário(s)

Made in Portugal

Adoro Portugal e a nossa cultura! Só temos o problema de pensarmos demasiadas vezes que nao conseguimos ou que nao somos capazes.
A concreto é só uma das marcas de qualidade e de sucesso em Portugal a pensar explorar a comercializacao noutros países. Esta é uma marca com estilo!
0 comentário(s)

sábado, março 19, 2005

Blog do dia

É o Puta de vida. Por causa das fotografias, lindas, do Porto. E porque me faz pensar. Se eu hoje olho para o Porto com saudade, porque o Porto foi durante alguns anos a minha casa, quanto é que faltará para ver Munique da mesma forma? Provavelmente menos do que eu penso.

(Já agora, conhecem o apdeites?)
1 comentário(s)

Robots

Gosto de filmes "para crianças". Gosto tanto, que muitos deles acabo por ver duas vezes, uma delas sendo a versao original.
Ontem fui ver mais um: "Robots". Gostei das animaçoes, como aliás já estava à espera. Gostei da história. E gostei das piadas. A melhor piada: o que ele está a tocar é uma mistura entre jazz e funk. Chama-se junk!



Foto: dad missed the delivery. Mas a melhor parte está para vir: a montagem!!! (Como é que será que traduziram o trocadilho entrega/nascimento para português?)
1 comentário(s)

Os portugueses estao por todo o lado...

...mas têm a mania de pensar que sao os únicos estrangeiros.
Na sexta apanhei uma família portuguesa numa cena engraçada. Vira-se a filha adolescente para a mae: "Ó mae, aquela gaja que passou comeu o pai todinho com os olhos." Eu fiz um esforço para nao me rir, mas a mae (que eu conheço) tratou de me apresentar à família. E eu depois lá descansei a miúda, a mim também me acontece dizer coisas que preferia que as pessoas nao entendessem e depois ser apanhada por um português ou brasileiro...
1 comentário(s)

Começa a chuva...

Só digo uma coisa, ainda bem que ontem aproveitei o sol!!! Desde segunda que estava um sol maravilhoso, praticamente sem nuvens, claro que no fim de semana tinha que chover, né? ;)
Num sábado de chuva nao se pode esquiar, nem andar de bicicleta ou patins, pelo que temos que nos dedicar a outro tipo de desporto: compras!!! Descobri uma loja m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a, da LEGO... onde vendem as últimas novidades, peças de todo o feitio e todas as cores, bonecos (mount-it-yourself), porta-chaves, artigos escolares, jogos, tudo para brincar! Encontrei a casa que sempre quis fazer quando era miúda, mas para a qual nunca tive peças suficientes. E garanto que me custou muito deixá-la lá. Isto de ser adulto, é lixado... mas por outro lado, os empregados da loja foram muito simpáticos, achavam que eu andava à procura de prendas para algum miúdo e deram-se ao trabalho de me explicar a história dos Bionicles novos: quais eram os maus, os bons e o rei dos Bionicles (nao percebi se era o rei dos bons ou dos maus, já estava a olhar para uma boneca de LEGO gigante para pôr na secretária a segurar as canetas). Resumindo e concluindo... se calhar daqui a uns dias vou ter uma casa nova... e provavelmente o melhor é mandar embrulhar... e quando chegar a casa, se o miúdo nao quiser montar, monto eu! :)


1 comentário(s)

sexta-feira, março 18, 2005

Pôr do sol


2 comentário(s)

Primavera

Com a chegada da primavera, veio um sol maravilhoso, e uma subida de temperaturas abrupta. No último sábado era mesmo inverno, e nevou (fotos ali em baixo). De repente temos máximas a rondar os 20 graus positivos. E com estas temperaturas vêm as primeiras prendas da primavera: as moscas. Apanhei a primeira na terça.
2 comentário(s)

quinta-feira, março 17, 2005

Temperaturas

Com a chegada do tempo quente, novas perguntas se poem...
Há uns tempos, explicámos ao pequenote que a temperatura mínima possível era de -273°C, o zero absoluto. Ontem, ele quis saber qual era o máximo. Curiosos?

Algumas temperaturas máximas (em Kelvins: para obter a temperatura em graus Celsius basta somar 273):
O centro do sol: 15,600,000 K
Superfície do sol: 5,600 K
Centro da terra: 7,300 K (nao encontrei um valor consensual, mas este é o valor mais alto apontado)

Supoe-se que a máxima temperatura alguma vez atingida ocorreu logo a seguir ao Big Bang. Nesse momento, foram atingidos 1030ºC (1030=1,000,000,000,000,000,000,000,000,000,000).

A temperatura média do universo é cerca de 2,73 Kelvins (-269,27°C), ou seja, 2,73 graus acima do zero absoluto.

A temperatura máxima registada na terra foi de 58°C, na Líbia, a 13 de Setembro de 1922. A temperatura mínima foi de -89,2°C, e foi registada na Antártida.

link1 link2 link3 link4 o sol
0 comentário(s)

Blog do dia

Já leio há algum tempo, normalmente seguindo links de outros blogs, e agora junto à minha lista. Vao ver, o blog da Papoila.
1 comentário(s)

Mesa de jantar para venda



Segundo me dizem, esta foto foi posta no ebay com o intuito de vender a mesa de jantar. Como é que se sabe que foi um homem que tirou a fotografia?
4 comentário(s)

Cum caraças

Isto de agora grande parte dos blogs terem música é uma chatice. Assim qualquer um sabe que não estou a trabalhar...
1 comentário(s)

Best seller

A igreja católica juntou à lista de livros proibidos o Código da Vinci, de Dan Brown. Foi pena fazê-lo tão tarde, quando o livro já foi lido e relido por milhões de pessoas. Lá se vai a hipótese de excomungar em massa.
(Eu li o Código da Vinci no verão do ano passado. Achei o livro viciante, li-o todo em dois dias. Claro que estava de férias e não tinha grande coisa para fazer, o que facilita a leitura de um romance deste género. Mas se a igreja tivesse proibido o livro logo que ele saiu, tinha-o lido antes. E a igreja ainda teria tido a possibilidade de pensar que o livro só era um best-seller devido ao impulso dado pela proibição. Agora é tarde demais.)
0 comentário(s)

Automóveis

Parece que alguém teve a brilhante ideia de tornar o Imposto Automóvel anual (link). Suponho que para isso baixem aquele primeiro e único pagamento que existia até agora, e que ainda para mais é complementado com IVA por cima.
O IA é uma das razões (ou será "a razão?) pela qual o mesmo carro custa muito mais em Portugal do que noutros países europeus. Ao baixar o IA que se paga juntamente com o carro novo, os fabricantes ficam com a possibilidade de aumentarem as suas margens de lucro ao mesmo tempo que os consumidores poderão pagar menos, no curto prazo, pelo carro novo. E o custo anual de um imposto anual irá, a logo prazo, ser favorável aos cofres do Estado. É só benefícios?
Vê-se logo que quem tem estas brilhantes ideias não anda de autocarro, e nunca teve de esperar à chuva durante meia hora ou mais por um transporte público. Também é evidente a falta de preocupações ambientais: não vi ainda ninguém defender uma redução de impostos ou uma eventual suspensão temporária sobre os automóveis que poluem menos que um determinado valor. É o costume, só se pensa em penalizar o Zé... o Zé tem carro, logo tem que pagar. E mais nada. Transportes públicos em que se possa confiar, não é preciso. Quem nos "governa" não anda de autocarro.
0 comentário(s)

Justiça?

Um assassino pedófilo, foi condenado pelos seus múltiplos crimes. Punição? Condenação à morte. Mas antes disso, cem chicotadas, e esfaqueamento do criminoso. A morte foi por enforcamento, mas não como se fazia na Idade Média, através da abertura de um alçapão, que possibilitaria que o pescoço se partisse. Nada disso. Neste caso usou-se um método muito mais moderno: uma grua levantou o criminoso, que assim consegui sobreviver mais algum tempo pendurado pelo pescoço, até finalmente morrer. Isto tudo ocorreu no Irão (link).
0 comentário(s)

quarta-feira, março 16, 2005

Isso da bola de ténis é mesmo a sério. Aliás, é por ser mesmo a sério que escrevi o post! Também serve uma sapatilha de lona, tipo All Star, mas convém que seja velha, porque se pode estragar.
Não vejo razão para não lavar e secar o casaco nas lavandarias públicas... Convém é que o casaco fique mesmo seco (o meu demora cerca de meia hora).
0 comentário(s)

Teste

Passei o dia todo sem poder postar ou comentar, ou mesmo gravar os post antes de publicar. Vamos lá ver se agora consigo pôr isto a andar...
0 comentário(s)

terça-feira, março 15, 2005

O fim de uma discriminação

O Serviço Nacional de Saúde britânico foi condenado a compensar as trabalhadoras que desde 1991 recebiam menos que os seus pares de sexo masculino. (link)
2 comentário(s)

Ele está de volta!

Desculpem lá estar a falar novamente do mesmo assunto, mas eu adoro o palhaço Santana!
Ainda não foi desta que Portugal se livrou dele! Claro que eu o compreendo!
Quer dizer, o gajo já tá tão habituado às regalias que não podia desperdiçar uma oportunidade de ter casa, carro e motorista à borla! Isto já para não falar que pode ir para a night à vontade sem ninguém o chatear!
Vamos poder continuar a ouvir as invenções dele sobre o túnel do Marquês e outras novas!
Agora quero ver é quanto tempo ele vai aguentar como Presidente da Câmara!
0 comentário(s)

Desconfiança

Teresa de Sousa escreve hoje no público que em Portugal predomina a cultura da desconfiança (link). Esta cultura faz de cada cidadão ou um potencial criminoso ou um indigente mental, traduzindo-se, além do mais, num brutal acréscimo de burocracia e de ineficiência.

Este artigo fez-me lembrar umas peculiaridades daqui.
1. O metro. Por cá, nas entradas para o metro, não há controlo para saber que picou o bilhete ou não. Quem precisa de picar, pica, quem tem passe, segue em frente. Nos autocarros e eléctricos a mesma coisa, e não é preciso mostrar o passe ou o bilhete a ninguém, e algumas das máquinas de "picar o bilhete" até ficam na traseira do autocarro ou eléctrico. No caso do eléctrico, o motorista não pode controlar nem que queira, pois as máquinas estão fora do seu campo de visão.
2. As "máquinas" de venda de jornais. Em muitos locais há umas caixas de venda de jornais, que têm uma tampa para os proteger da chuva. Quem quer o jornal abre a tampa, tira o jornal, põe as moedas uma ranhura, e fecha a tampa. Não, não me enganei na ordem. Quem não quiser pagar, pode tirar o jornal na mesma, uma vez que não há nenhum mecanismo de "segurança" que impeça as pessoas de o fazer. (Nota: nem todas as caixas de venda de jornais são assim. Mas muitas são.)
3. Nos arredores da cidade, onde há campos, na primavera, verão e início do outono, ocorre um fenómeno estranho. À beira da estrada vêem-se sinais que indicam a venda de flores/frutas/abóboras, em regime de self-service. Quer estiver interessado, pára o carro/bicicleta/patins, dirige-se às flores, corta-as (convém levar uma faca ou tesoura, mas às vezes está uma disponível), e finalmente, dirige-se a uma caixa onde paga. O preço está indicado numa placa. O que é estranho é que não há ninguém a controlar!

Será que por aqui as pessoas são muito mais honestas do que em Portugal? Não sei se assim será, mas com certeza que há sempre prevaricadores... O que acontece é que provavelmente fica mais barato confiar que a maioria das pessoas será honesta, do que estar a pagar a alguém para fazer de polícia.
E por falar em controlo: nos transportes públicos aparecem de vez em quando uns "picas" a confirmar se o pessoal tem bilhete. Para quem não tem, a multa é de 40€, o que nem é muito já que o meu bilhete mensal custa 52€. Têm uns avisos dentro dos transportes públicos sobre a multa, com o slogan "bei schwarzfahren sehen wir rot"(?) ou seja, "quando alguém viaja sem pagar (preto) ficamos vermelhos de raiva". No entanto, já não vejo um destes senhores desde antes de Novembro...
0 comentário(s)

segunda-feira, março 14, 2005

Multi...

Este post aqui em baixo, só vem mostrar que eu sou capaz de tudo (ou quase...). Entre conseguir um casaco limpinho, saltar de paraquedas, fazer ski, inventar jogos, ser uma mae perfeita, ser sexy, ter uma produtividade que nunca mais acaba, ter umas ideias brilhantes, fazer umas casas jeitosas, instalar memória, placa gráfica, firewire, gravador de DVDs, e ainda um segundo disco duro... Ah, e também tiro umas fotos giras, estao espalhadas pelo blog.

(Este post é para me animar. Estou com a neura...)
4 comentário(s)

Sintomas de fim de Inverno

Como lavar um casaco de penas, sem ter que ir à lavandaria:

1. Pôr detergente, tablete anti-calcário, e amaciador na máquina. Se algumas partes estiverem muito sujas (punhos, gola, ou outras), pôr anti-nódoas nesses locais.
2. Meter o casaco na máquina de lavar roupa. Escolher o programa para roupa delicada, a 30 graus.
3. Carregar no start.
4. Quando acabar de lavar, é imperativo secar o casaco numa máquina de secar.
5. Para que o casaco mantenha a forma, acrescentar, no tambor da máquina, uma bola de ténis. Assim, à medida que seca, o casaco vai levando porrada da bola de ténis...
6. Quando a máquina acabar de secar, verificar se o casaco está mesmo seco. Se sim, passar ao ponto 7. Se não, voltar a secar por mais uns minutos.
7. Et voilá: casaco lavado, como novo, e sem gastar um dinheirão na lavandaria, que cobraria os olhos da cara para fazer um serviço de qualidade inferior. Pelo menos, foi o que me aconteceu no ano passado. Mas agora, com a ajuda preciosa da bola de ténis, o meu casacão está lindo! Pronto para o próximo Inverno!
1 comentário(s)

domingo, março 13, 2005

O fim do Inverno?




Fotos de ontem, do que terá sido eventualmente o último nevao deste Inverno. E nao digo isto só porque o Inverno acaba oficialmente daqui a poucos dias. Parece que é mesmo verdade, as temperaturas abaixo de zero têm os dias contados. Agora já só aparecerao de noite, e apenas por poucas noites. Depois, vem o calor: na semana que se inicia espera-se que pelo menos uma vez os termómetros cheguem aos 13 ou 14 graus. É a primavera, meus amigos. Vamos lá ver é quanto é que isto irá durar...
7 comentário(s)

sábado, março 12, 2005

A importância de uma casa de banho pública



Quando vim para cá, achava esquisitíssimo ir à casa de banho em certos locais (centros comerciais e grandes armazéns, por exemplo, e até alguns restaurantes), e estar alguém à porta com um pratinho, à espera de pagamento.
Mas a verdade é que ir à casa de banho por aqui, é um alívio, nos dois sentidos da palavra. Em geral, as casas de banho estao limpas. Há bastante papel higiénico à disposiçao da freguesa, e se acabar é perfeitamente normal e aceitável contactar algum empregado e pedir que ponham mais. E em algumas casas de banho, há uma coisa, que devia ser obrigatória em todas as casas de banho públicas: um "dispensador" de liquido de limpeza antibacterianos para limpar o tampo da sanita (com a ajuda de algumas folhas de papel higiénico) antes de uma pessoa se sentar. Pois, que com luxos destes uma pessoa até se senta.
Hoje em dia, quando vou de férias a alguns países, fazem-me falta estas casas de banho. Em Portugal, quando tenho de ir a uma casa de banho pública, fico logo mal impressionada. Eu sei que nao há países perfeitos. Mas por mais imperfeitos que sejam, deviam ter todos casas de banho públicas limpinhas e com condiçoes de serem utilizadas.
2 comentário(s)

Números

É assim: 2 ministras em 16 (12,5%), e 4 secretárias de estado, em 36 (11,1%).
Cada vez gosto mais da Ana Gomes.
2 comentário(s)

Sneak preview

Os filmes na Alemanha costumam ser dobrados (sim, em alemao). Habituada como estou às vozes dos "originais", incomoda-me e faz-me perder o interesse "ouvir" o actor X ou Y falar com uma voz que nao tem nada a ver com a dele. Às vezes, a voz é uma característica que faz quase parte da personalidade de um personagem, e se a voz passa a ser outra, a ter uma entoaçao diferente, a personagem deixa de ser a mesma. (Experimentem ouvir a Marge Simpson na tv alema, até dói.)
Felizmente, existem alguns locais onde se podem ver as versoes originais dos filmes, com ou sem legendas. É a esses que eu vou, quando vou ao cinema. E quando nao há nenhum filme que desperte minimamente o interesse, pode-se optar pela sneak preview. O conceito é o seguinte: vai-se ver um filme, a um preço um pouco mais baixo que o normal, e nao se sabe à partida que filme será. A única coisa de que se tem a certeza é de que se vai ver um filme que ainda nao estreou. Pelo lado positivo, nao se pode culpar o amigo que vai connosco e que escolheu o filme de ter mau gosto. Quando muito, o cinema é que tem culpa de escolher maus filmes. Pelo lado negativo, às vezes o filme que aparece é uma grande estopada.
Fiquei fan das "sneak previews" da primeira vez que fui, já há muito tempo. Suspeito que foi por ter tido sorte com o filme ("Analize that", comédia com Bill Cristal e Robert de Niro). Mas na grande maior parte das vezes seguintes, vi filmes que nunca teria escolhido ver, e que, se estivessem na televisao, me fariam mudar de canal. O extremo chegou, num dia das bruxas, em que o filme transmitido era uma versao nova do "Texas chainsaw massacre". Grande parte das pessoas saiu durante os primeiros 5 minutos, Eu saí a seguir. Filmes de terror, principalmente aqueles que envolvem miúdas com pouca roupa e gritos a toda a hora nao sao o meu género.
As sneak previews têm ainda mais um pormenor engracado, pelo menos no cinema onde eu costumo ir. No final, pode-se votar a qualidade do filme transmitido. A escolha é entre bom, médio ou mau. Acho que pus o meu voto mais vezes em "mau" do que em "médio" ou "bom" juntos.
Ontem fui ver mais uma ante-estreia destas. Estava psicologicamente preparada para ver um filme qualquer horroroso, mas felizmente nao foi nada disso. Saiu um filme "normal", com uma história interessante de um homem de 51 anos cujo trabalho é dado a outro de 26, que proporcionou muitas gargalhadas do público, e cujas piadas nao eram de mau gosto nem previsíveis (já nao tenho paciência para as chamadas "comédias" hollywoodescas). A história de uma família, de pai, mae, duas filhas, e mais uma a caminho. Aparentemente simples, mas chegou para me pôr bem disposta. Ah, o filme chama-se "in good company".

4 comentário(s)

sexta-feira, março 11, 2005

Rent-a-german

Escolhe um/a alemã/o para uma experiência exclusiva. Imagina aparecer com a tua escolha numa festa com os amigos, ou a família, ou até mesmo no trabalho.
Seja qual for a ocasião, irás impressionar toda a gente ao aparecer com um/a alemã/o original!

Disponíveis os pacotes: família, fim de semana, business, e pacote surpresa.

Os clientes deste serviço ficaram impressionados. Por exemplo, a Samantha, 27 anos, de Londres, que diz:

"We had such a nice weekend with the German and my friends:
After the pub, we went dancing. My friends were really impressed about the german moves. I could never imagine, that the german cleaned my house the next day, before i woke up! Will definitely book again."

Mais informações aqui.
4 comentário(s)

quinta-feira, março 10, 2005

Um shot de adrenalina



Primeiro a subida...
0 comentário(s)

Aqui vem ela!



Aquele pontinho sou eu!
2 comentário(s)

Blog do dia

É a Confraria do Atum. Um blog com poucos dias de vida, mas já tanta coisa interessante, que vale a pena visitar. E é difícil resistir à caixa de comentários!
0 comentário(s)

Curtas

No Bloguítica:
"Um dos erros mais graves em política consiste em menosprezar o valor de um adversário."

Acrescento eu, não é só em política...
0 comentário(s)

Um "concurso"...

Eu não queria, mas já estava tão farta de ver anúncios a este concurso de blogs promovido pelo juíz árbitro, que lá tive de me inscrever. Se tens um blog, junta-te à lista. Se não, podes criar um!!! :o) As inscrições são até sábado, às 12h00 (hora de Portugal, suponho).
Eu sei bem que o meu blog é o melhor na categoria falo-do-que-me-apetecer-em-cada-dia-e-se-não-me-apetecer-não-falo-ponho-umas-imagens-de-vez-em-quando-blog-narcisista-generalista-emigrado-os-alemães-são-loucos-e-os-outros-também. É por isso que esta categoria não vai existir, senão os outros não tinham hipótese.
0 comentário(s)

Lenda das Amendoeiras

Vão lê-la ao Bosque da Robina.

Aqui está tudo branco e eu tenho é saudades das amendoeiras em flor, e das mimosas amarelas que costumam ficar assim por esta altura do ano. Dos montes verdes e azuis. E do sol, do céu limpo sem uma única nuvem a perturbar-lhe o azul.
1 comentário(s)

quarta-feira, março 09, 2005

Murcon

Alguém pôs o Júlio Machado Vaz "na ordem", por nao blogar "há muito tempo". É assim mesmo. Ligou-se à blogosfera, vai ter que postar!
0 comentário(s)

Importa-se de repetir?

Na Oprah, um homem sai-se com esta (cito de cor):
"Eu nao admito que alguém questione a minha estupidez!"
0 comentário(s)

Viagens de avião

Gosto de uma boa pechincha. E adoro malas de viagem. Quando vejo uma mala que me daria para uma função específica a um belo preço, raramente resisto. Como resultado, tenho montes de malas de viagem. Por exemplo, uma mala de plástico duro, suficientemente pequena para levar na cabine dos aviões, e suficientemente resistente para trazer comigo umas garrafitas de vinho ou uns frascos de tremoços. As malas pequenas, que respeitam os requisitos das companhias aéreas para poderem ser levadas connosco dentro da cabine são as minhas preferidas. Só que esta mania de comprar pechinchas, às vezes tem as suas desvantagens. Por exemplo, quando a mala está tão pesada que tem que ir no porão. Como os funcionários dos aeroportos tratam as malas nas palminhas das mãos, é uma questão de sorte a mala sobreviver. E quando a mala é estragada pela malta dos aeroportos que é que se pode fazer? Reclamar, claro. A última mala que me estragaram era a minha preferida. Tinha as dimensões mínimas para ir na cabine, na viagem de ida para Portugal, mas um fecho estrategicamente colocado permitia-lhe aumentar uns 7cm em "espessura", o que tem a enorme vantagem de eu não precisar de uma segunda mala quando volto para a Alemanha. (Eu já mencionei que adoro fazer compras em Portugal?) Da última vez que a utilizei, vinha meia trôpega, a mala, não eu, com um ferro a sair da parte que serve para puxar, a pega estragada, e um rasgão já não sei onde. E eu lá me dei ao trabalho de ir ao guichet da companhia (e isto tem que se fazer antes de sair para a área acessível ao público), esperar, e preencher os papéis da reclamação. E ver o olhar esgazeado da senhora do guichet quando lhe respondi à pergunta "quanto é que a mala custou"? Pois, já sei que sou otária por lhe ter dito a verdade. Estava com febre e uma dor de cabeça quem nem podia. Não sabia o que estava a dizer. Mas pronto. Não foi por causa do valor que reclamei, mas por causa do princípio. Se não têm cuidado com as coisas, então têm que pagar o que estragam, mesmo que o valor seja baixo. E eu fiquei mesmo triste com isto. É que não é todos os dias que se encontra a mala de viagem perfeita, e ainda para mais a um preço que vale a pena (mesmo que não se precise da mala... não, uma mala dá sempre jeito)!
Resumindo e concluindo, depois de muitos papéis para trás e para a frente, enviar a mala danificada pelo correio, à cobrança, claro, e umas semanas de espera, lá puseram a massa na minha conta. E depois de muito penar, não é que consegui encontrar uma mala quase igual à que tinha sido estragada, por menos 5 euros? :-)
4 comentário(s)

Spam

Tenho várias contas de email. No trabalho, por exemplo, nunca recebo spam. Em casa, recebo algum. No hotmail, tenho duas contas diferentes. Uma das contas está configurada para só aceitar email dos meus contactos e por isso nunca tem spam (quer dizer, o que tem vai directamente para o lixo). Claro que isso tem a desvantagem de mandar para o lixo outros mails que eu quero (queria) ler. A outra conta não tem essa configuração e recebe vários emails de spam por dia. Aliás, quase só recebe spam.
O gmail é diferente. Até hoje, todo o spam que recebi foi para directamente ao lixo. E nem percebi bem ainda como é que o filtro de spam funciona. Há mails que chegam, com um ar insuspeito, alguns até parecem ser importantes. E a polícia do gmail, faz-lhe um interrogatório à chegada, e o gajo não se aguenta. Por mais forte que o álibi seja, sucumbe às perguntas incisivas do gmail. E pimba, lá vai o spam parar ao caixote do lixo. (Eu já mencionei que gosto mesmo do gmail? Pois...)
0 comentário(s)

terça-feira, março 08, 2005

Homens das cavernas

Há uns tempos fui a um jantar de amigos, na sua grande maioria, homens. No meio de uma conversa sobre casamentos, comida, e sobras, um sai-se com a pérola de que as mulheres é que deviam limpar, e que ele só aparecia para comer... Este espécimen, estava com a namorada ao lado, que sorriu como se ele tivesse dito a coisa mais normal do mundo. Eu, que nem sou de me calar, fiquei de boca aberta, mas nem um som. Como é possível?!!!
2 comentário(s)

Dia da mulher - II

A mim nunca me ofereceram flores no dia da mulher. Nem percebo porque alguém o faria. Ao meu namorado, acho que lhe passou ao lado (e não me incomoda nada). A uns colegas de trabalho pareceu-lhes tão importante que mandaram mensagens de felicidades ou de agradecimento. Não percebo bem o que agradecem. O estar viva e ter dois cromossomas x? Só se for, porque senão teriam também que agradecer a todos os homens...
De resto, é um dia como os outros. Em que se tem de continuar a defender e a acreditar no mesmo que nos outros dias, pois as mudanças que são necessárias não é por serem lembradas num único dia por ano que irão ocorrer. O dia da mulher é todos os dias. Para mim, pelo menos.
2 comentário(s)

Blog do dia

Desabafos de um médico. Muito bem escrito, e com histórias interessantíssimas. "Descoberto" via tou na lua.
1 comentário(s)

Dia internacional da mulher

Para mim, é um dia como os outros. Continuo a fazer as mesmas coisas, a ter os mesmos desejos, a lutar pelos mesmos ideais. A tentar mudar o mundo, começando em casa, até porque tenho um filho a quem ensinar.
Continuo a querer trabalhar (sim, a tempo inteiro, mas não mais de 40 horas por semana), votar, dividir as tarefas domésticas. Querer e fazer.
Continuo a achar que não preciso de um homem para me proteger (para nos proteger temos a polícia, pelo menos era assim que devia ser). Nem para mudar uma lâmpada ou montar os móveis (mas se ele quiser, está à vontade).
Incomoda-me ver tão poucas mulheres na política e em cargos de direcção das empresas. Mas penso que com tempo, lá chegaremos.
Hoje vou dizer mais uma vez aquilo que já escrevi antes, ou aqui ou noutros sítios. Hoje por ser o dia das mulheres, gostava que dar uma prenda aos homens. O direito a uma licença de paternidade de igual duração à licença de materidade e a ser gozada ao mesmo tempo. Com as mesmas condições. É pena não poder ser eu a dar esta prenda. Terão que ser os homens a convencer-se de que a necessitam, para o bem deles, dos filhos e das mulheres. Mas eles é que têm o poder de mudar as coisas (14 ministros homens em 16!).
O resto, são coisas que começam em casa. Não nos podemos queixar de os homens "ajudarem" tão pouco nas tarefas domésticas: se os dois trabalham, as tarefas têm que ser divididas ao meio, e mais nada. E as crianças só têm a ganhar em terem exemplos em casa de que a vida é para partilhar, e não de que a mulher é a escrava do lar e o homem só tem que ler o jornal, e ver televisão.
0 comentário(s)

segunda-feira, março 07, 2005

15 dias

É o tempo que o me cérebro precisa para se habituar a qualquer novo corte de cabelo (meu ou de outrem).
Daqui a 15 dias talvez me volte a reconhecer. Agora é uma estranha que me olha do outro lado do espelho.
3 comentário(s)

Golpe de sorte do dia

Sorteio para ver quem fica com um dos poucos quartos especiais do hotel onde vamos ficar daqui a uns meses. Quem é o primeiro contemplado, quem? Euzinha, claro. (Não posso dizer que não estava à espera. Tenho tanta sorte que já me habituei. :P)
4 comentário(s)

Geek ou nerd

Lost in translation é o blog do dia. Já o devia ter sido há mais tempo, mas só hoje é que tive um tempinho para ver, e gostei, claro (senão não estava a escrever sobre ele). Vejam, em especial, o post "geek ou nerd".
0 comentário(s)

Nintendo

Já chegou a Portugal a nova consola da Nintendo, a DS, que será posta à venda na próxima sexta. Um bocadinho maior que o Gameboy Advance SP, mas com dois écrans, já estava à venda nos EUA desde Novembro. O écran inferior está equipado com tecnologia touch-screen, ou seja, lá vai o pessoal andar com aqueles ponteiros dos pdas para o poder utilizar.
À primeira vista, a grande vantagem sobre o GB é a possibilidade de jogar em rede com até 16 jogadores usando a tecnologia wireless. Apesar de no site da Nintendo se anunciar que esses jogos apenas necessitam de uma consola equipada com o jogo, só acredito quando vir. É que já no GB, alguns jogos dão para até 4 jogadores (ligados por um cabo), mas ou é necessário ter uma cópia do jogo por jogador, ou então os jogos que é possível jogar são tão básicos, que muito rapidamente se esgota o interesse.
(mais informação aqui e aqui)
0 comentário(s)

Os cientistas portugueses

Temos excelentes cientistas. Desta vez, uma cientista portuguesa, Paula Ravasco, foi premiada internacionalmente por um estudo pioneiro sobre o impacto da alimentação nos doentes com cancro.
Os resultados do trabalho sustentam que a nutrição tem de ser um aspecto a ter em conta no tratamento global dos doentes com cancro, pois ajuda a tolerar melhor os tratamentos, atenuando os sintomas. (link) Melhor ainda, esta cientista não teve que ir para o estrangeiro desenvolver o seu trabalho, ela está a trabalhar na Unidade de Nutrição e Metabolismo do Instituto de Medicina Molecular. Parabéns.
0 comentário(s)

domingo, março 06, 2005

As políticas de direita e os políticos de "esquerda"

Parece que o ministro das finanças nao descarta a opcçao de subir os impostos (leia-se: vai aumentar os impostos). O PSD diz que é contra, mas esquece-se que há 3 anos, antes de ganhar as eleiçoes dizia que ia baixar os impostos e no dia seguinte a ganhar as eleiçoes subir o IVA em 2%. Tem graça.
Eu nao acho piadinha nenhuma à ideia em si de se subirem os impostos. Há tenta gente e empresas que nao pagam, que se riem dos trabalhadores por conta de outrem na cara deles, e que deveriam ser auditados. Mas pelos vistos, para esses pagarem impostos era necessário o PCP ou o BE estarem no governo. Talvez assim acabasse a brincadeira.
Hoje ao almoço, vi na sic notícias uma reportagem sobre o condomínio de luxo da Quinta do Lago. Um dos responsáveis do condomínio (nao reparei no cargo do senhor) queixava-se que as pessoas que tinham comprado lá uma propriedade há uns anos, e declarado o seu valor em 50.000€, agora tinham sido tramadas pelas finanças que tinham reavaliado as propriedades em 500.000€. Na introduçao da reportagem, era dito que aquelas propriedades eram vendidas por 3, 4, 5 milhoes de euros. Afinal, o que é que se passa ali??? E ainda querem que tenhamos pena dos pobres proprietários que andam a enganar o fisco, ou seja o estado, ou seja a todos nós? E depois os impostos podem ter que subir/sobem...
0 comentário(s)

sábado, março 05, 2005

Compras na net

Quando a sic radical (re)começou a transmitir o Seinfeld, pareceu-me boa ideia comprar os dvds da série. Afinal, é uma chatice ver religiosamente um programa de televisao, nao só pela hora a que dá, mas também porque, como há mais vida para além da televisao, a probabilidade de perder alguns episódios é bastante grande.
Fui ver o que havia na amazon. Só estavam disponíveis as 3 primeiras séries. Um pouco mais de pesquisa na internet revelou que no total, o Seinfeld tinha tido 9 séries, com 180 episódios. Bem... 3 séries, em comparaçao com um total de 9, é pouco, principalmente se tivermos em consideraçao que as primeiras séries tiveram bastante menos episódios que as outras.
Eu estava mesmo interessada em comprar as 9 séries, talvez porque nao gosto de comprar coisas às pinguinhas, talvez apenas porque sim. Mais uma pesquisa no goole, para encontrar algum site que vendesse os episódios todos. Encontrei dois sites. Escolhi o que me pareceu ter melhor aspecto. O preco era relativamente bom, 140 dólares mais despesas de envio (isto era mais caro do que eu estava à espera, mais de 40 USD, se nao estou em erro), o que traduzido em euros, no total dava cerca de 140€. Bem, se tivermos em conta que as primeiras 3 séries custavam uns 95€ na amazon, parecia um bom negócio...

Passaram 2, 3, 4 semanas, e nada de receber a encomenda. Ao princípio pensei que se tratava de problemas de alfândega, já que os dvds vinham dos EUA, e eu tinha informaçao de que era normal os serviços alfandegários obrigarem ao pagamento de uma taxa (algum imposto ou IVA, fiquei sem saber) para levantar uma encomenda vinda de países de fora da UE. Mas depois comecei a ficar preocupada. Mandei um mail. Pedi informacoes pelo site. Mandei outro mail para outro endereco. Nenhuma resposta. Mais uma semana, e enviei um último mail (aliás, várias cópias para os diferentes enderecos que tinha) a avisar que nao tinha recebido nada, o dinheiro tinha sido retirado dois dias após a compra, e que queria o meu dinheiro de volta. Mais uma vez, nao obtive resposta.

Quando fiz a compra, cometi o erro de nao verificar se havia alguma informacao sobre o site, noutros locais. Nem me passou pela cabeça. O site tinha bom aspecto, e vendia dvds de muitas séries americanas. Mas depois de tanta espera, e alguns mails escritos e nada de resposta, encontrei uma referência noutro site (onde aliás, só cheguei por me ter enganado a escrever seinfeld!) onde se constatava que havia uma empresa online (sim, aquela a quem eu tinha comprado as minhas cópias!) que se dedicava a vender cópias pirata de má qualidade da série. A empresa estava baseada no Canadá, apesar de o pagamento ter sido feito a outra empresa americana. Nesse site, havia diversas pessoas que se queixavam de ter recebido cópias pirata de má qualidade, ou de nao ter recebido de todo algo que tinham pago. Quando vi isto, pensei, pronto, lá se foi o dinheiro, os dvds, e ainda para mais devia ter pesquisado alguma informaçao sobre o vendedor que tinha evitado isto...

A única coisa que podia fazer era tentar reaver o dinheiro através do banco. Lá fui eu, expliquei que tinha comprado algo na net e que nunca tinha recebido nada, apesar de já se terem passado mais de 5 semanas. A funcionária tomou nota, e disse que nao havia problema nenhum, e que mais tarde eu receberia uma carta da VISA para oficializar o procedimento. Passados uns dias, lá recebi a carta. Pediam que contactasse o vendedor para regularizar a situaçao, mas que caso o vendedor nao me desse uma resposta satisfatória, bastava enviar-lhes cópias das cartas que tivessem sido trocadas entre nós, para que eles avaliassem a situaçao e me devolvessem o dinheiro.

Um pormenor interessante, o pagamento foi efectuado por um mediador, chamado WorldPay, que aparentemente se prontificava a devolver o meu dinheiro se nao ficasse satisfeita, e que supostamente só entregaria o dinheiro ao vendedor quando eu tivesse o produto. No entanto, quando os contactei para explicar a situaçao, limitaram-se a dizer-me que sim senhor, tinham processado o pagamento em meu nome, mas que infelizmente nao estavam autorizados a cancelar encomendas ou devolver o dinheiro. Aconselhavam ainda a contactar a instituiçao do meu cartao de crédito para levantar uma "disputa". Pois. Só que ainda antes de eu efectuar o pagamento, no seu site de mediadores de pagamentos, diziam-me que se eles soubessem que a empresa a quem eu estava a comprar algo, nao me entregasse a encomenda ou o serviço, ou me entregasse a encomenda com defeitos, quebrando as suas obrigaçoes contratuais comigo, estes mediadores me devolveriam o pagamento efectuado com o cartao de crédito até ao valor total da compra. Engraçado, nao é?

Lá enviei para a VISA cópia de todos os emails enviados e também os recebidos da parte do mediador. Passado algum tempo (2, 3 semanas talvez), a transacçao foi totalmente anulada. Depois disso... comprei as 3 primeiras séries na amazon britânica, que me ficaram bem mais baratas do que seriam na amazon alema, apesar de serem na mesma importadas do Reino Unido...

Nota final: a empresa de que falo chama-se tv direct media. Quando eu achei que o atraso começava a ser intolerável, passei a consultar esse site frequentemente. Tiveram uma versao em que diziam que estavam com problemas em despachar as encomendas. Depois tiveram outra e que diziam que estavam com problemas na alfândega (porque seria?). E finalmente, o site deixou de existir. (Costumava estar em www.tvdirectmedia.com, mas hoje em dia esse dominio está à venda.)

Esta é que é mesmo a nota final: Tive sorte, muita sorte. Se me tivessem realmente enviado cópias piratas da série, nao sei se poderia reaver o dinheiro. Assim, foi relativamente fácil. Continuo a fazer compras na net.
3 comentário(s)

sexta-feira, março 04, 2005

Ninguém sabe...

A propósito da trapalhada que tem sido a bela ideia do governo de Santana (mas que governo? entao esse gajo nao foi demitido por incompetência há uma data de meses? e nao se demitiu a seguir? e nao houve eleicoes entretanto?) de que os monovolumes passem a pagar portagens classe 1 (ligeiros de passageiros) em vez de classe 2. Parece que um dos problemas é que ninguém consegue definir o que é um monovolume. Nem o google!

2 comentário(s)

Mais matemática

Tenho visto isto em vários blogs, e não resisto a comentar:

"A matemática tem coisas que nem Pitágoras explicaria. Aqui­ vai uma
delas... Pegue uma calculadora pq não dá pra fazer de cabeça...

1- Digite os 3 primeiros algarismos de seu telefone (não vale o
indicativo 91, 93 ou 96...);
2- multiplique por 80.
3- some 1.
4- multiplique por 250.
5- some com os 4 ultimos algarismos do mesmo telefone.
6- some com os 4 ultimos algarismos do mesmo telefone de novo.
7- diminua 250.
8- divida por 2.

Reconhece o resultado???????

O NUMERO COMPLETO DO TEU TELEFONE"


Há quem fique espantado com esta cena... eu não! Não é preciso ser Pitágoras para compreender o que se passou, basta saber traduzir o que está escrito em linguagem matemática, o que qualquer miúdo de sétimo ano (estou a exagerar, qualquer miúdo de quinto ano servia) deveria saber fazer.

Em primeiro lugar, o número de telefone é composto por 7 algarismos (por isso é que dizem para retirar o indicativo). Esse número é dividido em dois blocos:
- um com os primeiros 3 algarismos, que pode ser representado por x
- outro com os últimos 4 algarismos que pode ser representado por y
Para obter o número de telefone basta somar y com 10000*x (se não acreditas, experimenta).

A operação consiste então em:
1: x
2: 80*x
3: 1+ 80*x
4: 250*(1+80*x)
5: y + 250*(1+80*x)
6: y + y + 250*(1+80*x)
7: 2*y + 250*(1+80*x) -250
8: (2*y + 250*(1+80*x) -250)/2

E o resultado é 10000*x + y, ou seja, o número de telefone. O que se passa é que a equação que traduz o problema é do tipo de equação que qualquer que seja o x ou o y, é sempre verdadeira... Por outras palavras, experimentem fazer o contrário:

temos um número de telefone, que sabemos ser 10000*x + y. Este é o resultado que queremos obter. Para isso podemos multiplicar tudo por 4 e dividir depois tudo por quatro. 10000x + y = (40000x + 4y)/4. Podemos separar a parte que tem o número maior, 40000*x, por exemplo, em 400*(100*x). Assim, o número de telefone, 10000*x+y = (400*(100*x)+4*y)/4. Já agora, podemos somar e subtrair um número qualquer que seja múltiplo de 400, só para a subtracção ou a adição se poder efectuar naquela multiplicação do 400. Por exemplo, 800.
10000*x + y = (400*(100*x)+4*y + 800 - 800)/4
é o mesmo que
10000*x + y = (400*(100*x-2)+4*y + 800)/4
e podíamos continuar a complicar. Agora podemos surpreender alguém (quer dizer..) pedindo-lhe que peguem numa calculadora e façam a mesma operação que inventámos numa ordem que respeite a prioridade da ultiplicação e divisão, e dos parenteses:

1: digitar os primeiros 3 algarismos do número de telefone (o x);
2: multiplicar por 100;
3: subtrair 2;
4: multiplicar por 400;
5: somar os últimos 4 algarismos do número de telefone (o y);
6: voltar a somar os últimos 4 algarismos do número de telefone;
7: somar 800;
8: somar os últimos 4 algarismos do número de telefone;
9: voltar a somar os últimos 4 algarismos do número de telefone;
10:dividir por 4.

Qual é o milagroso resultado?
9 comentário(s)

O aborto na primeira pessoa

"Eu, Teresa Maria Canais Baltazar Farinha Matoso, fiz dois abortos.
FORAM DUAS DECISÕES MUITO DIFÍCEIS, contrárias até à vontade do meu marido. Fi-los às 8 semanas de gestação, em condições não apropriadas e até humilhantes. Lembro-me de uma telefonia com música altíssima, para não se ouvirem os meus gritos de dor (por não poder ter médico anestesista a acompanhar-me, não fui, obviamente, anestesiada). Paguei o correspondente hoje a 1000 euros, porque a parteira era da confiança da minha ginecologista, que, no mesmo dia, me levou para uma clínica particular de Lisboa, só acessível às classes altas e médias altas, onde fui devidamente tratada. Curso acabado, carreira profissional solidificada, tive então mais dois filhos, que, muito provavelmente não poderia ter tido, caso não tivesse tido a possibilidade económica que me permitiu a escolha de uma boa parteira e, porque surgiram complicações, o internamento numa clínica de luxo, onde não eram feitas perguntas. Caso contrário, teria ou morrido ou ficado estéril.
Acrescento aquilo que todos sabem, mas que eu vi: a clínica era frequentada por mulheres de gente importante reponsável pela legislação anti-aborto.
Não me sinto orgulhosa por ter feito dois abortos, nem confortável por o dizer publicamente. Fi-lo porque quis relatar, na primeira pessoa, aquilo que é do conhecimento geral. Fi-lo como forma de luta pela obtenção de um direito que é justo. Fi-lo para enfrentar, em jeito de desafio, as autoridades competentes. Por último, gostaria de afirmar que não permito opiniões sobre o que poderia ou deveria ter feito. Nenhuma mulher faz um aborto de forma inconsciente ou leviana. O sentimento é sempre de sofrimento".
Retirado daqui.
0 comentário(s)

Matemática

«As adolescentes portuguesas chumbam na avaliação das suas práticas contraceptivas. Uma em cada seis jovens entre os 15 e os 19 anos tem uma vida sexual activa sem utilizar qualquer contraceptivo. E, dessas, 33% já recorreram à utilização da pílula do dia seguinte. O alerta é dado por um estudo sobre os hábitos anticoncepcionais das portuguesas.»
Ora se 1 em cada 6 tem uma vida sexual activa sem usar contraceptivo, e dessas, 1 em cada 3 já usaram a pílula do dia seguinte, logo, apenas 1 em cada 18 (ou seja, 5,6%) já utilizou a pílula do dia seguinte. Resta dizer que os dados divulgados ontem não diziam que as jovens que participaram no estudo eram apenas 141, das quais cerca de 70 assumiram já ter tido relações sexuais, enquanto apenas 46 (1/3) afirmou ter uma vida sexualmente activa na altura do inquérito. Apenas 15 jovens disseram já ter usado a pílula do dia seguinte. (link)

Pessoalmente, 141 pessoas parece-me uma amostra muito pequena para se tirarem tantas conclusões, que acabam por vir enviesadas pelas análises feitas nos jornais e na televisão para empolar as situações. Eu ainda estou a digerir o "opinião pública" da sic notícias que deu ontem, onde deram a palavra a tanta gente retrógrada e ignorante, para além de o "jornalista" ter sido extremamente desagradável ao insistir com o entrevistado para que a opinião própria do jornalista fosse admitida pelo entrevistado. Basicamente um "jornalista" que acha que entrevistar alguém que não pensa como ele é obrigar esse alguém a mudar de ideias ou a, quer queria quer não, a cair na armadilha de afirmar o que o "jornalista" quer. Fiquei mesmo mal impressionada, tanto mais que o entrevistado era o mesmo que vinha mencionado no público de ontem, e estava basicamente a afirmar mais uma vez aquilo que já tinha sido dito pelo público.
1 comentário(s)

Choques eléctricos

O ar seco propicia a ocorrência de choques eléctricos entre as pessoas e outros materiais condutores (podem ser pessoas, superfícies metálicas, ou outros). Por aqui, a humidade durante o Inverno (sim, meses a fio), é extremamente baixa, facilmente atingindo os 19%. Provavelmente por isso, eu passo os dias a apanhar choques, quer nas portas metálicas, quer nas pessoas, quer nas janelas...
Para uma pessoa sentir um choque é necessário acumular uma carga eléctrica superior a dois mil ou cinco mil volts, embora de intensidade muito baixa, dependendo este valor de cada caso. Eu devo ser mesmo muito boa condutora, ou boa acumuladora de tensão, para acumular tantos volts (e subsequentemente os descarregar noutro condutor qualquer) várias vezes ao dia!
(Ver mais sobre este assunto aqui.)
0 comentário(s)

Bruxelas é que está a dar

Já todos percebemos porque é que Durão Barroso fugiu para Bruxelas. Tinha vários milhares de razões:

Salário base mensal ..................................... 22 200 euros;
Subsídio mensal de habitação ........................... 444 euros;
Despesas de representação ........................... 1 418 euros;
Abono mensal para a esposa ............................ 149 euros;
Abono de família por cada filho ........................ 260 euros;
Ajudas à escolaridade dos filhos ....................... 443 euros;
Subsídio de instalação na nova casa (única)..... 3 330 euros;
E ainda:
Mudanças, viagens e seguros - Pagos na totalidade. Viatura de função com motorista, Cozinheiro, pessoal doméstico e empregados de copa.

Suponho que agora já não ande de tanga...
(informação via jumento)
0 comentário(s)

quinta-feira, março 03, 2005

Aguaceiro

Antes de dormir, leio uma história ao pequenito. A palavra nova de hoje é "aguaceiro". Pergunto-lhe se sabe o que é um aguaceiro. Claro que sim. É onde se guarda a água.
(De tarde tinha-lhe explicado que um palheiro é onde se guarda a palha...)
0 comentário(s)

A não deixar passar em branco

Este artigo de Maria Filomena Mónica, de seu título "as mulheres portuguesas são parvas". Vale a pena ler tudo, mas destaco apenas algumas partes:

"Quando casei, o que de mim se esperava, além da procriação continuada, era que passasse o dia a arrumar a casa, a cozinhar pratos requintados e a vigiar a despensa. Hoje, a estas tarefas vieram juntar-se outras. As mulheres modernas são também supostas ser boas na cama, profissionais competentes e estrelas nos salões."

"Os portugueses excedem-se verbalmente no seu amor pelas crianças: para 62 por cento, os indivíduos que não têm filhos levam uma "vida vazia". Ora, são estes senhores, que tanto dizem amar os filhos, que se não dão ao trabalho de lhes mudar as fraldas, de os levar ao médico ou de os alimentar. As mulheres portuguesas gastam três vezes mais horas do que os homens na lida doméstica: elas despendem, por semana, vinte e seis horas, eles apenas sete, o que dá uma diferença de dezanove horas semanais, uma média superior à europeia. As portuguesas continuam a ser exploradas, como se nada se tivesse passado desde o momento, na década de 1960, em que a minha geração ergueu a bandeira da emancipação feminina.Algumas das jovens, que responderam ao inquérito, declararam conformar-se com a distribuição do trabalho vigente, chegando a dizer que "nós nunca nos zangamos por causa das tarefas domésticas", continuando a lavar a roupa, a passar a ferro e a mudar fraldas, como se os filhos não fossem responsabilidade de ambos. "

"É por isso que a luta tem de continuar. Não sei se sou "femininista", nem me interessa debater a questão terminológica. Sei que sou contra todas as injustiças e, entre elas, contra a ideologia que nos quer manter encerradas numa Casa de Bonecas. Ao longo dos anos, tenho ouvido de tudo, incluindo mulheres que dizem estar contra a emancipação feminina. Pensei então que não valia a pena perder tempo com tontas. Mais madura, considero hoje que o melhor é retirar-lhes o direito ao voto, o direito ao divórcio e a protecção legal contra a violência doméstica. Se gostam de ser escravas, que o sejam. Acabou-se o tempo das contemporizações. Quem luta, tem direitos; quem se resigna, fica de fora."
2 comentário(s)

Padre recusa dar comunhão...

...a católicos que, entre outras coisas, usem métodos contraceptivos (link). Já nada me espanta, mas nem sequer acho mal. Pois se é isso que a igreja católica defende e acredita, então que ajam em conformidade. As pessoas são livres de aderir ou não. Pessoalmente não me aquece nem me arrefece, eu não vou à missa, e só entro em igrejas em situções muito excepcionais.

Comentário ao artigo do público (online) de Madame min, Lisboa:
"Já agora para ser verdadeiramente coerente o sr. padre deveria mencionar a vasectomia, o viagra, a sodomia, o coito interrompido, os preservativos e os bancos de esperma, em suma os métodos masculinos de não procriação. E que tal juntar também os pais que se recusam a pagar a pensão de alimentos aos filhos? "
1 comentário(s)

quarta-feira, março 02, 2005

O Blog do dia

Tenho visitado este blog por diversas vezes, normalmente porque a Joana deixa uns comentários por outros blogues que eu leio regularmente. E hoje queria voltar lá, e nao me conseguia lembrar de maneira nenhuma do nome do blog, ou de onde é que a Joana tinha deixado um comentário... Felizmente o universo está do meu lado, e a Joana deixou um comentário ali em baixo... Obrigada! Vais já para a coluna dos links, que é para nao me saíres mais da vista! :)
Para quem tiver curiosidade... é o blog do bafiento jacinto coito (donde é que será que vem o nome?)! Das vezes que lá passei, a imagem que me ficou gravada na cabeca foi uma certa fixacao por vozes, em particular vozes da rádio. Eu gosto. E há mais coisas. Vao ver.
3 comentário(s)

A Regra de Quatro


Belo livro, este que a minha mana teve a amabilidade de me oferecer no Natal. Só nao o li mais depressa porque quando nao estou de férias, o tempo escasseia, e o cansaco também nao me deixa ler tanto quanto gostaria.
A história que circula à volta de um livro muito antigo,o Hypnerotomachia Poliphili, cujo conteúdo envolve um complexo código para contar uma outra história, muito mais interessante...
Além da parte que mais me empolgou, que é a descoberta dos códigos escondidos, e dos enigmas que levam a outros enigmas, este livro encerra muitas licoes de vida e reflexoes sobre a vida. E é engracado imaginar alguém a dedicar a sua vida a decifrar um código num livro com quinhentos anos de existência.
Do lado negativo... acho que nao percebi bem o fim (as últimas 3 páginas). :(

(Nota para eventuais fanáticos: nem tudo o que se diz no livro é verdade. Apesar de o Hypnerotomachia Poliphili ter existido, o código decifrado é apenas uma invencao dos autores. E está muito bem assim.)
0 comentário(s)

País de terceiro mundo

Há dias, estava eu a fazer zapping a uma hora tardia quando para mais de 2 segundos num canal que estava a transmitir um jogo de futebol masculino da primeira liga do Brasil.
Era um derby da cidade de São Paulo e jogadores e adeptos estavam empenhados em que a respectiva equipa vencesse. Era um derby normal, com jogadores normais, num estádio normal, frequentado por adeptos normais. A única coisa que não era normal era a equipa de arbitragem.

Quando vi pela primeira vez 'o' árbitro a apitar pareceu-me que era um árbitro um pouco afemininado. Já estava quase a rotulá-lo de Gay quando me apercebi que o fiscal de linha também tinha um aspecto diferente. Quando resolvi sentar-me para ver melhor o que se estava a passar, percebi que a equipa de arbitragem era constituída exclusivamente por mulheres. Não conseguia acreditar que um país de 3º mundo, como é o Brasil, pudesse ter árbitros no feminino nos jogos da primeira liga! Mas vi o jogo até ao final e posso assegurar que foi um jogo oficial a contar para a classificação da 1ª liga brasileira!

Se calhar não estou a contar aqui nada de novo, mas a mim surpeendeu-me pela positica e parece-me que o Brasil está, obviamente, a ir pelo caminho certo. Agora é esperar para ver quantas competições internacionais terei que esperar mais para ver o mesmo cenário.
2 comentário(s)

Saudades

É o que dá ler certos blogs.
Agora sou eu que estou cheia de saudades. Saudades do mar, do sol (aqui também está um sol radioso hoje, mas nada se compara ao céu português, com aquele azul que não há em mais lado nenhum e nem uma réstia de nuvens), das nossas belas paisagens, do nosso arvoredo, de não poder dizer as asneiras que me apetece porque toda a gente entende. Saudades do "calor", de poder estar numa esplanada em pleno inverno, dos almoços na Foz, a 5 metros da água do mar, dos calhaus da praia de Leça, das viagens de comboio entre o Porto e Coimbra, ou entre o Porto e Lisboa. Das férias no Algarve. Das férias no Alentejo. De chegar a Junho já com um bronze nas pernas e nos braços. Dos pastéis de nata, que já tentei fazer em casa mas que nunca saem iguais aos verdadeiros, embora sejam mesmo assim uma delícia. Dos bolos com creme de ovo, mas sem nenhum licor no meio. Das bolas de berlim "a sério". Dos shoppings abertos até à meia noite. De poder fazer compras ao domingo. De ver peixe a sério, que não pareça ter sido criado numa estufa e que não olhe com olhos baços para mim da banca da peixaria.
(inspirar... pensar nas próximas férias... expirar...)
2 comentário(s)

terça-feira, março 01, 2005

Tempo maluco

Isto por aqui é engracado, quanto mais radioso o dia, mais frio faz!!! Hoje esteve um dia de sol maravilhoso: comecou com 19 graus abaixo de zero (quando eu saí de casa de manha), e chegou aos -5 durante a tarde. Nada mau!!! :)
O mais estranho sao os dias nublados, em que pode estar a mesma temperatura desde a manha até à noite... e pior que isso... aqueles dias estranhos em que, durante o dia, em vez de aquecer, arrefece...
0 comentário(s)

A inflação

Já há uns tempos que me pergunto como é que a inflação pode ser tão baixa, quando algumas coisas sobem de forma tão acentuada. A resposta é óbvia, quem calcula a inflação fá-lo com os artigos e a ponderação que convém para que o valor a obter seja de acordo com o que se quer. Suponho que certas coisas que aumentam sistematicamente muito acima da inflação nem sequer entrem para esse cálculo. Por exemplo o seguro automóvel. Entao não é que o meu seguro automóvel, que deveria baixar 15%, subiu outro tanto? É que me adianta ter uma redução no prémio do seguro, se no fim acabo a pagar praticamente o mesmo... Mais vale andar de transporte público? Claro que sim, durante a semana para ir para o trabalho. Mas para ir às compras "a sério", aquelas em que se enchem um carrinho inteiro de supermercado até estar quase a transbordar, não há transporte público que me valha. Além disso, os transportes públicos por aqui também não são propriamente baratos, se bem que o facto de andarem a horas (para mim, andar a horas é ter menos de 7 minutos de atraso num autocarro, ou menos de dois num comboio) e de chegarem ao centro da cidade mais rapidamente que um automóvel, com a enorme vantagem de não precisarem de estacionamento, compensa. Acho que podia falar durante horas sobre as vantagens dos transportes públicos fiáveis, eu que tantas vezes penei por causa dos autocarros na cidade Invicta.
Anyway... era só para dizer que o Departamento Federal de Estatística, em Wiesbaden, disponibilizou aqui uma calculadora da taxa de inflação que é baseada no padrão de despesa individual (a introduzir pelo utilizador).* Agora o consumidor alemao já pode calcular a sua própria taxa de inflação.
Em português, a notícia aqui.

*se experimentarem, avisem. No meu computador não dá, não sei bem porquê (problemas de plugin ou de browser talvez), mas vou continuar a tentar...
0 comentário(s)