segunda-feira, janeiro 31, 2005

Nao é shopping, é centro comercial

Dei uma olhadela na RTPmemória, antes do jantar. Naquele menu onde diz o programa que está a dar e qual vem a seguir, anunciavam qualquer coisa como "O que eles viam". No canto superior direito estava indicado "1992" (será que vi bem? foi mesmo em 92? nao terá sido antes?).
E o que é que estava a dar? Nao, nao eram os "Riscos", mas o seu percursor. Se bem me lembro, chamava-se "Verdes Anos". Apanhei uma cena em que três dos protagonistas iam ao shopping, a famosa cena que tantas vezes imitámos lá em casa. Um deles fala em "shopping", e o impagável Peter Michael (o nome do personagem nao me lembro, mas o nome do actor para sempre ficará na minha memória ;-)) sai-se com um "estamos em Portugal, aqui diz-se centro comercial". E quando o outro lhe diz "otorrinolaringologista" (era a palavra que era sempre repetida na série, como se fosse uma coisa que só alguns iluminados conseguissem pronunciar), o Peter Michael informa-o da novidade: "Já ninguém diz otorrinolaringologista, agora é desoxirribonucleico". Que saudades... lembro-me de, anos mais tarde, ver o Peter Michael mais uma vez, num episódio dos Riscos, se nao estou em erro. Já nao tinha a mesma piada. Já nao era o puto adolescente e magricela armado em esperto, tinha-se tornado num adulto, e já nao era um trinca espinhas.
4 comentário(s)

Mais um blogue

Nao sei se a intencao era ser sério (nao me parece), mas o resultado final é... de morrer a rir. Se nao sempre, pelo menos muitas vezes. É o Vida de Casado. Um alentejano a queixar-se, perdao, a elogiar a sua mulher, e ainda a contar-nos as tropelias de ter uma filha pequena. Muito, muito giro.
(Eu nao disse que estava a ficar viciada em blogues?)
0 comentário(s)

Qualidade IV


Estou-me a referir à roupa...
Salsa jeans
1 comentário(s)

Politicamente (in)correcto

Louçã diz a Portas que ele não tem o direito de falar sobre o aborto porque ele não gerou descendência. Santana lança diversas insinuações sobre a vida privada de Sócrates. Mas afinal o que é que se passa?

Pessoalmente (já sei que vou levar nas orelhas), o comentário do Louçã não me pareceu nada de especial. Quando o li pela primeira vez, nem percebi o objectivo, porque, que eu saiba, o Louçã não teve bebé nenhum na barriga. Mas afinal gerar um filho é apenas providenciar a "semente", portanto eu não tinha percebido nada. Por outro lado, as acusações constantes de "assassino" de Paulo Portas a todos quanto ousem discordar dos seus "valores" de defesa da "vida" (se calhar também é daqueles que é contra a mansturbação) não costumam fazer ninguém perder as estribeiras.
Ao mesmo tempo muita gente qualificava de indecente o "ataque" de Louçã a Portas, umas certas insinuações sobre Portas ser homossexual.

Pelos vistos Santana aproveitou a boleia (a ideia) e toca de insinuar que Sócrates é gay. E ainda de mostrar que ele, Santana, é muito homem, o que ele gosta é de mulheres, e quantas mais melhor.

Estou-me completamente nas tintas para se o Paulo Portas é ou não homossexual. Não me interessa se o Sócrates dorme com o Diogo (boatos, boatos...). Politicamente, é-me completamente indiferente que o Santana seja um playboy inveterado e se gabe disso. Agora o que me chateia é ver anúncios contra a discriminação (homo) sexual, e a seguir virem-me com estes belos argumentos.

Já agora, o que aconteceria se Sócrates ganhasse as eleições com maioria absoluta, e como primeira "medida" anunciasse que era gay, e apresentasse o primeiro cavalheiro (suponho que seja esta a versão masculina de primeira dama)?
0 comentário(s)

Santana

No público de ontem, por Ana Sá Lopes, o retrato escrito d'"o mais patético primeiro ministro que Portugal conheceu nos anos de democracia". Com ele não falta assunto de que falar.
0 comentário(s)

Controversa Maresia (blog do dia)

No Controversa Maresia, a descrição do que seria um filme pornográfico para mulheres. Muito giro, vale a pena.
0 comentário(s)

domingo, janeiro 30, 2005

Piada do dia

Um casal de alemaes, casados há 8 anos, vai a uma clinica de fertilidade porque nao consegue ter filhos. Ambos eram férteis. A razao pela qual a mulher nao engravidava, era porque eles nao sabiam que era necessário terem relacoes sexuais...
Parece mentira, mas é verdade (link)!
0 comentário(s)

sexta-feira, janeiro 28, 2005

Sondagens

E por falar em sondagens, aqui podem encontrar um blog sobre sondagens, com uma análise dos números, e algumas revelações eventualmente surpreendentes (PS com 115 deputados? Onde é que eu já vi este filme?). Chama-se Margens de Erro.
0 comentário(s)

Termómetros em baixo

Parece que em Portugal toda a gente se anda a queixar do frio. Ao mesmo tempo, os metereologistas dizem que estas temperaturas baixas não são nada fora do normal. A minha esperança é que talvez estas "notícias" sirvam para alertar as pessoas para a necessidade de isolamento térmico das casas: janelas, portas e paredes deveriam ser construídas por forma a limitar a influência da temperatura lá fora. A partir daí, os sistemas de aquecimento funcionariam de forma mais eficaz. Mesmo que só se utilize o aquecimento dois meses por ano (no litoral, porque no interior norte faz frio durante mais tempo), estas medidas permitiriam um maior conforto.

Por aqui, hoje ao sair de casa estavam -10°C. Esta temperatura não me incomoda nada, porque a roupa que visto (comprada em Portugal!) é a mesma que para -3°C ou -12°C: t-shirt, camisola, casaco comprido, e botas. O gorro também dá jeito, principalmente quando há algum vento. Nos transportes públicos há aquecimento. Dentro de casa ou no trabalho ando de t-shirt, e ninguém me compreende. Dizem que gelam só de olhar para mim. Mas a verdade é que dentro de casa, no trabalho, nas lojas, está uma temperatura acima de 20 graus! Olhado lá para fora, vejo neve por todo o lado, o sol a brilhar (hoje), e até me custa a acreditar que está frio!
0 comentário(s)

Mais uma do Flopes

Santana queixa-se de fraude nas sondagens, e dá como exemplo, "[as] eleições autárquicas de Dezembro de 2001, quando, até dois dias antes do sufrágio, "não houve uma sondagem que desse a vitória ao PSD" em Lisboa."
Parece que se esqueceu da mega fraude (ou seria só incompetência) das eleições autárquicas em Lisboa que lhe deram uma vitória administrativa (ver aqui e aqui).
2 comentário(s)

Erros políticos

No bloguítica, leio:
"ERROS QUE SE PAGAM MUITO CARO
Os do BE, por exemplo. O BE muito cedo avisou que não estaria disponível para formar Governo com o PS.
O resultado?
Eventualmente, o BE poderá ter empurrado o PS para os braços do PP. Pior do que isso, o BE contribuiu activamente para criar pressão -- contra si próprio -- no sentido do voto útil a favor do PS."

Eu concordo com a parte do voto útil no PS. Parece-me que neste momento há tendência a favorecer (nas urnas) a existência de um governo de maioria (coligado ou não). Mas, como disse há uns dias, só espero que essa coligação não seja com o PP. Isso trairia a confiança depositada nos eleitores do PS, principalmente o chamado eleitorado flutuante que vota no PS para castigar o anterior governo.
1 comentário(s)

quinta-feira, janeiro 27, 2005

Qualidade III



Cerne
Foto roubada daqui.
0 comentário(s)

Susto

Desde ontem que o olho direito andava esquisito. Nao estou a ver bem, tenho a visao um pouco desfocada, e dificuldade em ler durante muito tempo no computador, e andava um pouquinho "remelosa". Como trabalho todo o dia em frente ao PC há já vários anos, pensei: bem, é a minha vez. A grande maioria das pessoas que conheco e que trabalha 8 horas por dia no computador usa óculos. Outras usam-nos apenas para trabalhar ao computador. Teria toda a lógica que eu, mais tarde ou mais cedo, tivesse o mesmo problema. Ao mesmo tempo tinha esperanca que fosse apenas uma infeccao ou alguma coisa temporária, que se pudesse curar sem ter que recorrer a medidas drásticas.
Nao quis adiar o problema, com medo que se agravasse, e fui logo ao oftalmologista. Uma senhora fez-me um teste aos olhos antes de eu entrar para a consulta, com uma máquina especial. Primeiro ao olho direito. Nao consegui ver quase nada nos primeiros testes. As letras estavam muito desfocadas, e o tamanho mais pequeno era impossível de ler. A certo ponto, aparece um círculo dividido em sectores pretos e brancos, completamente desfocado. A máquina vai-o ajustando automaticamente, até que fica completamente nítido. A partir daí, fui capaz de ler as letras todas. A seguir, o mesmo procedimento para o olho esquerdo, que eu pensava estar totalmente em ordem. Surpresa das surpresas (para mim), nao consigo ver quase nada! Talvez por ter estado a esforcar o olho direito (nos últimos testes as letras estavam num rectângulo dividido em 3 tiras horizontais, em que a tira central tinha as letras e as outras duas tiras eram apenas luz forte, e nao consegui identificar todas as letras, se bem me lembro), de repente já nem via bem do esquerdo. Concentrei-me e acabei por me sair mais ou menos mal, da mesma maneira que tinha sido para o olho direito.
Após esta experiência, mandaram-me esperar pelo médico. Sentada numa cadeira, a olhar para a porta do consultório, já me estava a ver de óculos com uma graduacao fortíssima, e já pensava quais seriam as minhas hipóteses de trocar óculos por lentes de contacto, ou eventualmente fazer uma operacao para voltar a ver normalmente. Foram uns minutos bastante angustiantes. Nunca na vida precisei de óculos, sempre vi perfeitamente, apesar de passar horas e horas no computador, quer no trabalho quer em casa, há vários anos. Mas o meu último check up já tinha sido há 10 anos, o que é muito tempo. Se calhar muita coisa tinha mudado.
Finalmente chamaram-me. O médico foi simpático, mandou-me ler uns números num quadro electrónico, e eu vi tudo perfeitamente. Mesmo os números mais pequeninos que numeravam as linhas, e penso que nem fariam parte do teste. Depois examinou-me os olhos, e viu logo que havia qualquer coisa no olho direito. Receitou-me umas gotas especiais para esse olho, e outras para os dois olhos, por causa do computador (gotas, sim, nada de óculos!!!). Ele diz que o ar é muito seco no inverno (pelo menos por aqui, onde as pessoas têm humidificadores em casa - nao, nao me enganei, humidificadores) e isso é prejudicial para os olhos. E mandou-me voltar lá daqui a dois ou três meses.
Senti cá um alívio. Voltei a safar-me. Para já, ainda vejo bem, aquilo que nao vejo, nao é por defeito dos olhos, mas porque simplesmente está longe demais ou desfocado.
1 comentário(s)

quarta-feira, janeiro 26, 2005

Qualidade II



Mais um exemplo de sucesso
0 comentário(s)

Sol no Atlântico



Estou com saudades disto...
0 comentário(s)

Notícia do dia

A melhor notícia do dia (pelo menos até agora): finalmente saiu o programa para criar novas paredes, soalhos e até relva, para os SIMS2!!! Parece-me que já posso voltar ao vício, que tinha ficado de parte, à espera desta novidade... :-)
0 comentário(s)

Coisas de mulheres

Para obter a receita da pílula (que não é comparticipada pelo seguro de saúde e só é vendida com receita médica*) tenho que ir ao ginecologista de 6 em 6 meses. Ao apanhar-me lá por causa da receita, o homem aproveita sempre para me marcar uma consulta de check up. Eu não tenho vontadinha nenhuma de ir, mas pronto, lá aceito, muito a contragosto. Não é uma tortura ir ao ginecologista, mas também não é nada que me ponha um sorriso na cara.
Hoje era suposto ter uma consulta. Tinha sido marcada para as 9h20, a conselho da secretária, que tinha dito que logo de manhãzinha não costumava haver ninguém. Chego ao consultório, e o que vejo? 4 mulheres à espera. Sabendo eu que não eram clientes anteriores (antes de mim só havia uma marcação, às 8h40), lembrei-me logo do que aconteceu uma das últimas vezes que lá fui. Vi o mesmo cenário, e esperei umas 2 horas pela minha vez. Fui logo perguntar à secretária (não era a mesma que me tinha aconselhado aquela hora, infelizmente) se ia ter que esperar por aquela gente toda. Ela disse que sim, e eu decidi-me logo, "então nesse caso marque para outro dia, que eu vou-me embora, tenho que ir trabalhar".
Tenho mas é que procurar outro ginecologista. Este tem um problema grave de organização. Pois para que é que eu tenho que marcar consulta (e já me aconteceu não me deixarem marcar para quando eu queria porque já estava tudo "cheio"), se quem aparece sem hora marcada tem prioridade conforme a hora de chegada? Preciso de um sistema organizado e que siga as regras: se a pessoa tem hora marcada e está presente no consultório a essa hora, então a pessoa é atendida, no máximo com 10 minutos de atraso sobre a marcação. Estranho neste país em que "Ordung muss sein", em que as regras/leis são a coisa mais importante que há e têm que ser obedecidas, uma regra básica como esta não seja respeitada. Enfim, talvez o homem não seja alemão... mas a minha explicação/teoria sobre o caso é outra (quando mudar de ginecologista verei se estou certa ou errada).

* A receita da pílula vai logo para o lixo a seguir à compra. Não serve para nada a não ser para provar ao farmacêutico que seguimos as regras e não fomos comprar a pílula sem mais nem mais, qual delinquente.
2 comentário(s)

Mais blogs emigrados

Encontrei Bolas de Berlim, mas não são de comer. Em comum (pelo menos): líamos a Ragazza quando éramos teenagers (eu também lia a Teenager, que apareceu antes) e os países (Portugal e Alemanha).
E ainda mais um desterrado, À Deriva.
2 comentário(s)

terça-feira, janeiro 25, 2005

Blog do dia

O Funil recomenda-se, em particular:
- Voto útil/Voto fútil
- Feche-lhe a tampa (a Santana Lopes, enfiado num caixote do lixo)
- cartaz interactivo do PSL, com a opcao de: pô-lo a fazer caretas, mandá-lo ficar quieto, ou carimbá-lo. A minha preferida é pôr-lhe o carimbo (rejeitado), que tem a vantagem de o homem também ficar quieto. É o clássico 2 em 1 ;-).
0 comentário(s)

Sao surdos ou quê?

"Notícia" da RTPn:
Celorico de Basto é o concelho mais pobre do país. Num supermercado do concelho, entrevistam uma velha, perguntam-lhe se leva muita coisa. Ela diz que leva pouca coisa, porque mora ali ao lado, e que como lhe dói a perna nao pode carregar muita coisa. A "jornalista" insiste: "Leva pouca coisa porque tem pouco dinheiro?"
Enfim. Conhecem algum velho que diga que tem muito dinheiro? Eu nao. Mas entre ter muito dinheiro ou pouco, e distorcer aquilo que foi dito, foi um pequeno passo.
1 comentário(s)

Onde nos encontrei!

Andava eu muito entretida a pensar como é que será que funciona aquela cena do "trackback" que vejo nos outros blogs quando... bem, na realidade nao andava assim tao entretida quanto isso, senao tinha mas era ido procurar no google o que era e como funcionava, mas de qualquer forma eu andava a pensar nisso, e nao a agir... Continuando, entrei no Jumento, onde estava um link para o servico que lá se usa para identificar blogs que têm links para eles... et voilá, usei o mesmo servico para ver se alguém desconhecido me andava a linkar, e nao é que havia mesmo alguém??? Ofereci logo alvíssaras (que é como quem diz, links recíprocos)...
0 comentário(s)

Qualidade



Saladeira, do Depósito da Marinha Grande. Roubada daqui.
0 comentário(s)

segunda-feira, janeiro 24, 2005

Mas que bela produtividade

Fiz o jantar de hoje (frango estufado com batatas e cenoura, a acompanhar salada de pepino, cenoura e tomate), metade do jantar de amanha (arroz de pato, falta o arroz, o pato está pronto) e ainda quase metade do jantar do dia seguinte (molho de arroz que sobrou do estufado). Hoje passei duas horas na cozinha, amanha e depois conto lá estar 10-15 minutos.
Ainda nao sei como vai saber o jantar de amanha, mas o de hoje estava delicioso!
Agora falta livrar-me do cheiro horroroso de comida que tenho nas maos. Vai ser hoje que vou experimentar pôr sumo de limao, a ver se resulta...
0 comentário(s)

Elas em Marte

Acabo de ver no Elas em Marte (sic Mulher) um dos convidados proferir a seguinte afirmação:
Está provado que os filhos de mulheres que trabalham profissionalmente têm mais sucesso na escola (melhores notas). Continuou o raciocínio explicando que estas crianças são beneficiadas por terem uma mãe que está mais aberta ao mundo, e por estarem expostas a um círculo de pessoas mais diversificado. O convidado afirmava que a diversidade dos contactos pessoais era extremamente enriquecedor para a criança.

Bem, não me lembro de cor de toda a conversa, mas a ideia básica ficou. Não me parece nada de transcendente, e é uma ideia que sempre defendi (infelizmente já tive que a defender várias vezes), não pelas notas em si, mas pelo equilíbrio das crianças e pela riqueza das experiências a que são sujeitas nesta situação. O que achei interessante foi ver alguém a afirmá-lo dizendo qualquer coisa como "está provado cientificamente". A mim, parece-me senso comum.
0 comentário(s)

Neve II


De manhã estavam -4°C, são as consequências da neve, fica menos frio eheheh. Felizmente as temperaturas não devem subir acima dos 0° durante o dia, ou seja, a neve não derrete para depois se transformar em gelo, o que torna muito mais fácil tirar a neve de cima dos vidros do carro... E as estradas sempre ficam com menos gelo...
Hoje vi 4 limpa neves seguidos a limpar a estrada no sentido contrário ao meu (os 4 ao mesmo tempo!), aquilo é que foi uma limpeza...
0 comentário(s)

Neve I

(Este nao é da minha autoria, mas acho que posso pôr aqui. Ler com sotaque, é mais giro!)

Há pouco tava a nevar forte e feio e estavam lá fora uns brasileiros aos berros:

"É água! É só água cara!" Pensavam que quê, que as nuvens são feitas
de algodão e a neve é o resultado de os deuses andarem a fazer
batalhas de nuvens???
0 comentário(s)

Blog do dia

É o Random Precision. Por várias razões, mas principalmente por ser mesmo muito bom.
0 comentário(s)

Alianças

Gostava de ver uma aliança (pré ou pós eleitoral, neste caso é indiferente) entre o Bloco de Esquerda e o PS. Se o PSD se consegue aliar ao PP, e daí sai que quem mostra as garras é o PP, porque é que o Bloco não concebe ceder em algumas coisas e fazer finca pé noutras, para que realmente alguma coisa mude? O Bloco (ou o PCP, se quisesse) é a única hipótese de um governo PS ser um governo de esquerda, tal como o PP tornou um governo do PSD um governo de direita (quase extrema direita, em algumas coisas).
Se eu vir o PS a aliar-se ao PP, nunca mais na vida o PS fará parte das minhas opções de voto. E ainda tenho (provavelmente) muita vida para votar... a esperança nos políticos é que diminui a olhos vistos.
3 comentário(s)

Direitos Humanos na China

No DN de ontem, o artigo "métodos desumanos na China" fala sobre as condições de "vida" de um trabalhador na China.
No primeiro parágrafo, pode ler-se:
"Como podemos competir com a China? Lá, trabalha-se 16 horas e recebe-se 40 euros por mês. O que os chineses são é escravos. Há alguma justiça nisto?"

Eu não sei a resposta a esta pergunta. Obrigar os produtos "made in China" a pagar alguma taxa de importação seria uma ideia, mas acho que foi precisamente essa ideia que foi abandonada recentemente ao abrir os mercados à China. Mas a minha resposta, por insignificante que possa ser, é não comprar nada que tenha uma etiqueta "made in China". É o resultado das influências da Paulita, mas se não fosse ela, eu ainda hoje deitava os papéis ao chão e as garrafas de vidro no lixo. E às vezes tenho bem pena (de não comprar certos produtos, não de reciclar/deitar no contentor o lixo)... há coisas bem giras, e algumas de boa qualidade que gostaria de comprar, mas a minha "voz interior" impede-me. Mas espero que ao eu passar sem essas coisas, alguém, algum dia, perceba a mensagem. Se não perceber, ao menos eu não contribuí para as condições de trabalho miseráveis dos chineses.

Já agora, para quem não acredita no poder do "mercado": lembram-se quando a Indonésia andava a matar gente em Timor Leste, e houve uma campanha para que não se comprasse nada "made in Indonesia"? Essa campanha teve resultados. As pessoas não compravam produtos indonésios. O mercado ressentiu-se, e independentemente de essa acção ter surtido efeito ou não, a mensagem passou. Eu ainda hoje não compro coisas feitas na Indonésia.
4 comentário(s)

O preço errado

A saga continua, no Correio da Manhã. Quem anda à chuva molha-se... Que desculpas de mau pagador que o rapaz arranjou. Pelos vistos já se queimou para os próximos tempos, agora é aguentar a pastilha, que tudo há-de passar, como sempre.
4 comentário(s)

domingo, janeiro 23, 2005

Janela em Veneza



Anões aprisionados
0 comentário(s)

sexta-feira, janeiro 21, 2005

Viciada em Blogs...

Há uma data de blogs que leio regularmente. Antes lia o público e o guardian, agora leio blogs. E nem tenho tempo de ler tudo o que gostaria! Por isso mesmo, vou actualizar a lista aqui ao lado. É justo! Além disso tem a grande vantagem de funcionar como bookmark permanente, independente do local de onde acedo à internet. Conheco algumas pessoas que tinham páginas web, muito antes do conceito de weblog existir, que era praticamente uma lista de bookmarks. Na altura, achei aquilo uma ideia muito boa, e agora, também acho. E lembro-me com carinho das minhas primeiras páginas web, em mil novecentos e troca o passo (95?ou 96?) que nao tinham quase conteúdo nenhum e eram simplesmente resultado de experiências para aprender HTML. Como criei a minha primeira página com o Netscape Composer, nos tempos em que o Netscape Navigator era o browser mais utilizado e o Internet Explorer era, em termos de adesao dos utilizadores, uma sombra pálida daquilo que hoje é. Lembro-me quando cheguei ao ponto em que achava que os geradores automáticos de código HTML eram todos uma porcaria e editava sempre o código "à pata"... Até que um dia deixei de brincar com páginas web, por falta de tempo e do que dizer. Hoje em dia tenho uma abordagem ao contrário. Preocupo-me mais com o conteúdo, menos com a forma, e só edito HTML muito de vez em quando. Mas continuo a achar piada à tecnologia por trás disto. E o que eu adoro no blogger, é o mesmo que eu gostava no terravista, quando tinha lá a minha página alojada, é o facto de nao ter publicidades (ao contrário de outros servidores "grátis", como o geocities e o lycos).

Já agora, será que existe o termo "blogaholic"? Parece-me giro...
1 comentário(s)

A história do pilhão

Nos últimos tempos temos sido bombardeados na televisão e rádio com o anúncio do pilhão.... Quase parece uma história de conspiração em que o amigo da vizinha que tem um filho cujo o pai do amigo do neto na escola viu um pilhão..... Pois eu posso dizer com toda a certeza que nunca vi um pilhão! Este nome foi completamente inventado! Antes sim, eu via uns recipientes pequenos, muitas vezes junto com o papelão ou o vidrão nos ecopontos, onde podia colocar as pilhas. Geralmente eram amarelos e cheguei a ver muitos na faculdade. Nessa altura não tinham nome e não era feita publicidade aos ditos. Agora, que os tempos são de crise e que por alguma razão resolveram mudar a cor do 'pilhão', parece que é notícia e que nós somos todos uns anormaizinhos que nunca tinhamos visto um... Eu nunca vi um daqueles porque são novos!!
Já estou cansada que me andem a tentar enganar a torto e a direito....
1 comentário(s)

Esclarecimentos, já!

Paulo Portas posiciona-se para continuar no poder, a reboque do PS.
Quero ouvir, da boca de José Sócrates, que não se coligará com o PP em caso de maioria relativa! Caso contrário, votar no PS não é necessariamente votar contra o (des)governo dos últimos 2 anos e tal!
1 comentário(s)

quinta-feira, janeiro 20, 2005

Vizinhança

No ensino secundário, numa aula de matemática, o professor explicou-nos o conceito (matemático) de vizinhança. Antes de chegar à matemática propriamente dita, disse:
Se eu estiver no lugar onde vivo, e encontrar uma pessoa que mora na minha rua, digo-lhe olá, porque essa pessoa é minha vizinha.
Se for a Lisboa, e encontrar uma pessoa que é da minha terra, falo com ela, pois é minha vizinha. Se for ao estrangeiro, e encontrar um português, cumprimento-o, pois é meu vizinho.
A partir daqui, a história já era mais matemática, e tinha a ver com a definição de vizinhança matemática, forçosamente inequívoca.
Isto tudo para dizer que hoje em dia tenho muito mais vizinhos do que naquele tempo.
As coisas que eu me lembro dos meus professores...
1 comentário(s)

Não há coincidências II

(não tem nada a ver com as coincidências do post anterior)

Ia eu no metro, a pensar em mulheres com as quais não tenho nada em comum, e em particular a pensar numas críticas literárias que tinha lido na amazon, escritas por mulheres que criticavam duramente uns livros que eu tinha gostado.
Olho para a capa do livro da miúda em frente, e leio "Olivia Joules and her hyperactive imagination". Ela ri-se ao ler o livro, como eu me ri quando o li. Afinal ainda há esperança.
0 comentário(s)

Nao há coincidências...

Tao depressa quanto recebi o link por email para o blog do dia (pitasworld), esse site desaparece... Estranho? Para quem viu o conteúdo do site, nao será concerteza tao estranho como isso. Para mim o mais estranho é nao aparecer nada no Google em relacao ao assunto...
Hoje a emissao do Preco Certo nao contou com a presenca do seu assistente masculino...

[Adenda] O mesmo conteúdo que provavelmente levou ao desaparecimento do blog, está copiado aqui.
0 comentário(s)

Pitas world

Blog do dia..
0 comentário(s)

quarta-feira, janeiro 19, 2005

Mas que dia!

Depois de um dia atribulado e cheinho de trabalho duro (ou seja, reunioes o dia todo, que é coisa que dá cabo de mim), descobri que há mais alguém a quem posso chamar amigo. Estou contente. Esteve sempre ali e eu nem reparei...
1 comentário(s)

Já que a Paulita nao poe aqui as fotos giras dela...


Coimbra

Este software é mesmo muito fixe. Diminui automaticamente o tamanho da foto, de forma que mesmo a versao maior (clicar sobre a fotografia) nao ocupa tantos bytes como no meu pc. Por isso, é um instante enquanto a foto é carregada no servidor. Viva o Google!
0 comentário(s)

terça-feira, janeiro 18, 2005

Mais blogs

Encontrei uns blogs especiais. Boas intencoes (ou Inferno cheio?) e The awful german language. É bom saber que nao estamos sós.
1 comentário(s)

O ministro mais indigno

O adufe tem a decorrer uma votação em que se pode escolher qual o ministro mais indigno dos últimos dois (des)governos. Em concurso estão Martins da Cruz, Pedro Lynce, Isaltino Morais, Morais Sarmento, e Maria do Carmo Seabra. É uma escolha muito, mas mesmo muito difícil.
Eu só gostava de adivinhar quais serão os futuros postos políticos/públicos desses senhores todos. Parecem-me todos igualmente indignos de representar a nação, mas não duvido que, o mais tardar, quando este ciclo político mudar, voltarão a ser altas figuras do nosso país. E isto, para mim, é o mais indigno.
0 comentário(s)

Poucas mulheres se consideram bonitas

Um estudo feito em onze países revela que apenas dois por cento das mulheres se considera bonita. Além disso, consideram irreais os modelos de beleza feminina apresentados pelos media.
A Dove, mais uma vez, utiliza mulheres normais numa campanha publicitária.
É por esta e por outras que a marca Dove anda a léguas de distância das outras na publicidade. Quanto a vendas, não sei, mas a verdade é que lá em casa há sempre coisas da Dove. Champô, gel de banho, hidratante, o que calha. Esta marca é provavelmente a que tem uma imagem mais agradável para as mulheres. E ao mesmo tempo, tem produtos de qualidade.
0 comentário(s)

Blog do dia

Pelo menos é o blog do início do dia...
Chama-se spectrum, e merece uma visita de reconhecimento... e eventualmente mais.
0 comentário(s)

segunda-feira, janeiro 17, 2005

"date rape"

A woman was jailed for five years today for using the "date rape" drug Rohypnol to knock out a wealthy banker and a film director and steal thousands of pounds worth of goods from their luxury flats.
Selina Hakki, 37, was jailed at London's Middlesex Guildhall crown court for using the drug to steal property worth £20,000 from her two victims. Police said she was the first woman to be convicted of using the powerful sedative on men and that there may have been "many more victims".



Afinal não são só os homens a aproveitarem-se das mulheres... Eu por mim só gostava de saber quais foram os pretextos para ela se introduzir nos apartamentos de luxo destes homens. Afinal, se os pretextos fossem apenas os óbvios, seria mesmo preciso irem para o apartamento da "vítima"? Podiam-se ter ficado por um hotel de luxo ou um motel barato, consoante os gostos...
0 comentário(s)

Mães

No domingo, uma mulher romena de 66 anos deu à luz (mas que bela expressão) uma menina (link). Antes dela, uma mulher indiana, de 65 anos, tinha sido a mulher mais "velha" do mundo a ter um bebé e antes disso, duas mulheres, uma norte-americana e outra italiana, de 63 anos também tiveram bebés depois dos 60 anos.

E por falar em mulheres grávidas, já viram a nova campanha do BPI, com a Fernanda Serrano completamente grávida? Está o máximo!!!
0 comentário(s)

Mulheres na cozinha...

Estou furiosa. Zangada. Prestes a rebentar. Recebi de "prenda", de umas certas pessoas, o seguinte conjunto:
- perfume (bom, mas não era caso para isso, não nos conhecemos assim tão bem);
- livro de receitas;
- panos para a cozinha, atados em forma de boneca.

Era mesmo o que eu estava a precisar. Arranjem-me um emprego numa cozinha com um salário a sério (aí uns 100.000 euros por semana), e aí, eu penso em ir para lá. Assim, devem estar a brincar comigo. Eu se quisesse cozinhar ou limpar a dita, não tinha passado uns 20 anos a estudar. Se há coisa que não suporto são prendas estereotipadas. Põem-me fora do sério. Nem sei como é que consegui sair-me com um sorriso amarelo e um obrigado muito pouco entusiástico. Para o ano, vingo-me.
0 comentário(s)

Uma toalha...

A diferença que uma toalha pode fazer na minha vida... Não tenho nenhuma comigo. Trouxe o equipamento de ginástica, estava pronta para ir para a aeróbica, e então reparei. Esqueci-me de trazer toalha. Não posso ir e depois não tomar banho - ninguém ia aguentar o cheiro (nem eu!). Amanhã vou ter que ir ao ginásio, de castigo.
0 comentário(s)

sexta-feira, janeiro 14, 2005

Políticos...

Morais Sarmento acusa Sócrates de ser só cosmética (link). Agora a sério... deve estar a brincar... o Morais Sarmento não era o ministro do mergulho? Dos desportos radicais em São Tomé e do avião fretado por cem mil euros? Ele tem a lata de aparecer na rua? E ninguém lhe diz nada? Tipo, passa para cá o custo do aluguer do avião que te levou à ilha onde fizeste o mergulho, espero que te tenhas divertido, mas à tua custa...

Parece que não. Onde é que andará o Sócrates? Enfiado nalguma clínica a recuperar de uma plástica só pode, para não lhe responder à letra!!!
0 comentário(s)

quinta-feira, janeiro 13, 2005

Livros

Este Verao encontrei, na feira do livro de VN Milfontes, um livro delicioso: "A agência n°1 de mulheres detectives". A história passa-se em África, num país do qual quase nada ouvi falar, e por isso acaba por se tornar muito mais colorido e interessante que outros livros. Conta a história de uma mulher forte e independente, e a agência de detectives acaba por ser um pormenor da história.




Nestas férias de Natal, tive a sorte de encontrar, mais uma vez por acidente, outro livro que continua a história anterior, pegando onde o outro tinha ficado: o casamento de Mma Ramotswe com Rra Maketoni (adorei os nomes). A história é do mesmo tipo da do primeiro livro, se calhar com menos mistérios para resolver, mas de uma beleza imperdível. Pelo meio a adopcao de dois órfaos de África e a paixao de uma menina numa cadeira de rodas por motores. Adorei "As lágrimas da girafa".




Ambos os livros têm o mesmo defeito: acabam muito depressa!
0 comentário(s)

Mas que grande sorte...

Como de costume, deixei o carro estacionado perto da escola do meu filho o dia todo. Isto porque para ir trabalhar apanho o comboio (é muito mais rápido e cómodo), e há uma estacao muito perto da escola do pequeno. Fica tudo em caminho para levar o miúdo à escola e depois ir trabalhar.
Hoje, ao contrário dos outros dias, deixei o carro aberto. Esqueci-me de o trancar. Lá dentro, no porta-luvas, estava o GPS portátil. Quando cheguei, depois de um dia de trabalho, nem podia acreditar na sorte. O carro estava intacto, e o conteúdo também. Há dias em que fico feliz por viver aqui.
0 comentário(s)

Comentários

Apaguei (a pedido) dois comentários num dos posts mais abaixo. Não sei é como retirar a indicação de que já lá estiveram... Quando (se) tiver tempo, vejo isso. Para já fica assim.
0 comentário(s)

Mais plágios...

No causa nossa, a notícia de um plagiador do CDS que copiou textos de dois autores do causa nossa e os coligiu no Diário do Funchal. Além disso ainda teve a lata de lançar a dúvida sobre quem tinha plagiado quem.
Para além da questão do plágio, o que me admira é que um dirigente do CDS (ainda que da jota, ou se calhar, ainda para mais, da jota) tenha a mesma opinião de pessoas assumidamente de esquerda...
0 comentário(s)

Dar ou não dar

Concordo plenamente com este artigo do nónio, acerca das ajudas recolhidas para as vítimas do maremoto na Ásia. Também eu, antes de dar, muitas vezes me interrogo quais os destinos que o dinheiro levará, e por não conhecer esses destinos, não dou. E mais. Quando me interpelam na rua, a pedir para esta ou aquela instituição de solidariedade social, não digo "não tenho", ou dou qualquer outra desculpa esfarrapada. Digo, isto sim, "não dou". Assumo. Não me interessa. A causa da ISS em questão pode ser a melhor, mas eu não sei qual a percentagem do dinheiro que eu dou que será realmente utilizada para essa "causa". Quanto desse dinheiro será perdido em "despesas administrativas"...

Ao contrário, acabo por quase sempre dar uma moeda aos pedintes na rua (e não estou a falar dos arrumadores). Há quem me censure, dizendo que a maioria deles são podre de ricos e que vivem sem procurar trabalho porque a vida de pedir é mais fácil e nem paga impostos. Mas eu prefiro dar a 100, e ajudar um que realmente precise, do que não dar a nenhum, e não ter ajudado o que precisava.

Há uns tempos, na rotunda da areosa, estava parada num semáforo quando veio um senhor pedir-me 2 euros para gasolina. Disse que o carro tinha ficado sem gasolina, que ele era de Braga e estava ali com a filha de 12 anos, e precisava de meter gasolina para voltar para casa e não tinha dinheiro. Disse-me que tinha um café em Braga (e o nome do tal café, mas já não me recordo qual era), e quando lhe dei o dinheiro (fiz uma vaquinha ali mesmo no carro e juntei 5 euros para lhe dar pois pensei que 2 euros o homem não ia a lado nenhum) disse-me que quando fosse lá ao café dele me oferecia o jantar.
Quando cheguei ao meu destino, a minha irmã (que vinha noutro carro, atrás, e tinha visto a cena), perguntou-me porque é que eu tinha dado dinheiro ao homem. Eu contei-lhe a história toda e expliquei-lhe que não podia deixar ali o homem aflito. Aí ela disse-me que aquele homem estava sempre ali e contava sempre uma história parecida. Claro que eu fiquei um bocado chateada por ter sido enganada. Mas também logo me passou, pois no fundo, prefiro ser enganada algumas vezes e realmente ajudar das outras. É que já me aconteceu uma vez precisar de ajuda, e ninguém se dignou a ajudar-me.

PS - lembrei-me agora do Banco Alimentar Contra a Fome. Nos fins de semana em que nos dão um saquinho à porta do supermercado, acabo sempre por lho entregar à saída com qualquer coisa dentro. Mesmo nos tempos em que achava que até eu precisava de ajuda. Mas dar comida é diferente de dar dinheiro. E até pedintes de semáforos já foram brindados com um pacote de leite com chocolate e mais qualquer coisa que eu tivesse à mão...
3 comentário(s)

terça-feira, janeiro 11, 2005

Shopaholic...

Há uns tempos a minha mana avisou-me que um novo livro da série "shopaholic" (Louca por compras, traducao do primeiro livro da série em português) tinha saído. Ainda nao havia versao em português, mas nao quis esperar, e fui logo à amazon comprá-lo. Na altura nao estava em stock, pelo que deixei a reserva feita... E aquilo demorou tanto tempo, que acabei por me esquecer de anular a reserva. Resultado...

Há uns dias fui à fnac. Encontrei o livro. Estava até mais barato que na amazon. Como já nao me lembrava da encomenda, comprei-o. E ontem, quando estava a umas meras 100 páginas do fim, recebi uma encomenda... O mesmo livro, vinda da amazon. Bolas...




O livro é giro, aliás, como os anteriores. Nao é tao enervante como o "shopaholic ties the knot", e tem o mesmo tipo de final feliz e saídas brilhantes dos livros anteriores. Mas desta vez, a autora deixa antever o que será o próximo livro. Eu vou comprá-lo assim que sair, mas desta vez espero ficar só com uma cópia!!! :)
1 comentário(s)

Polícia...

E por falar em patrulhas de polícias... Quando fui a Inglaterra pela primeira vez (há uma data de anos), fiquei alojada numa pequena vila, relativamente longe de Londres. Ali só havia casas, o "town hall", 2 ou 3 pubs, a estacao de comboio, e mais nada. À noite, havia carros patrulha a rondar. Nao se passava nada, e mesmo assim a polícia estava sempre presente. Nao era uma zona de "bairros", nem se via gente na rua, mas a polícia fazia patrulhas.

Porque é que em Portugal a polícia é um bem tao escasso e precioso que nao pode fazer patrulhas nas zonas residenciais? Se há uma coisa para que o dinheiro dos impostos devia servir, seria a polícia!

Há uns dias fui à baixa do Porto. Já nao lá ia há montes de tempo. Fiquei surpreendida por ver lá polícia (acho que foi a primeira vez). Eram logo três... estavam no meio da rua, a conversar uns com os outros. Já é melhor que nada, ao menos estavam lá. Uns dias antes tinha ido a Lisboa, também à baixa. Lá, havia polícia por todo o lado. Até achei curioso ver polícia ao lado de vendedores ambulantes sem que esses vendedores comecassem a guardar a mercadoria e mudar de poiso... Entre vendedores de castanhas assadas, gorros e luvas, e porta-documentos, algum havia de estar sem licenca... ou nao?
0 comentário(s)

Assaltos (sim, sem acentos)

Assaltaram o carro à SonecaS. Vieram-me logo à memória recordacoes dos meus 3 assaltos ao carro no Porto (e outro em Barcelona, mas esse foi tao traumatizante que nem quero falar nele).

Da primeira vez que me assaltaram o carro roubaram o rádio. Tinha sido prenda de anos, custado 30 contos, apesar de eu ter insistido para que me comprassem o mais barato que houvesse (precisamente por causa dos assaltos), e lia cassetes lindamente. Fiquei mesmo triste. A tampinha do rádio, tinha-a deixado no porta luvas (belo esconderijo, nenhum assaltante pensaria nele). O mais revoltante foi aperceber-me que os assaltantes vasculharam o carro todo, quicá à procura do manual do rádio que nao estava lá...

Fiquei tao traumatizada que nem queria comprar outro rádio, mas passado uns tempo lá achei que era preferível, a andar com um walkman no bolso a toda a hora, o que poderia até ser perigoso, por andar com auscultadores enfiados nos ouvidos. Desta vez comprei mesmo o mais barato de todos. Lia (lê, este nunca mo roubaram) cassetes mal e porcamente, os botoes sao um bocado foleiros, principalmente os de pôr a cassete a andar para a frente ou para trás, que passado pouco tempo deixaram de funcionar. Mas ao menos dava para ouvir rádio, o que nas viagens de poucos kilómetros e muitos minutos no meio do trânsito da cidade ajuda a passar o tempo e a descomprimir.

A partir desse assalto nunca mais deixei nada de valor dentro do carro. Nem sequer (e principalmente) a tampinha do auto rádio. Da segunda vez que me assaltaram tinha no carro apenas um guarda-chuva pequeno, mas esse nao quiseram levar.

Mas mesmo assim, da terceira vez "abriram" a porta com um pé de cabra e aquilo ficou num estado lastimável... A parte de cima da porta nao encostava ao teto, ficava a uns 7 cm dele (nao estou a exagerar, infelizmente)! Fui a uma garagem onde um mecânico simpático lhe deu umas pancadas com um martelo e a ajuda de uma placa de madeira(para nao estalar a tinta, pareceu-me), e levou aquilo ao sítio. E avisou-me logo que se voltasse a acontecer a mesma coisa, a porta teria de ser substituída. Ora, num Fiat Punto já velhinho substituir a porta fica quase pelo mesmo preco que comprar outro... Estao a ver o prejuízo (e isto tudo para nem me roubarem nada!).

Um àparte, contaram-me que em Paris é tao frequente os carros serem assaltados, que há quem deixe o porta luvas aberto (e vazio, óbvio), e tire a "tampa" da mala, para se ver que nao tem nada dentro. Se calhar é boa ideia para quando tiver que estacionar no Porto... (eu a Lisboa vou de comboio :-))
0 comentário(s)

Acidentes rodoviários

Este ano (2004) houve muito menos mortos nas estradas portuguesas. No IP4 percebe-se porquê. Nos locais onde costumava ver ultrapassagens perigosas (e proibidas), agora há uns pinos a separar as faixas de rodagem. Não será tão eficaz como uns separadores de betão, mas já faz uma grande diferença.
No IP5 não se vê nada disto, mas em contrapartida parece que uma futura autoestrada está em fase acelerada de construção. Cheira a portagens por todo o lado.
0 comentário(s)

Gasolineiras (atrasado)

Mais uma embrulhada. Em breve os postos de gasolina irão cobrar uma taxa de 50 cêntimos a quem quiser abastecer o depósito à noite. A justificação, pelos vistos, é que os postos que estão abertos à noite perdem dinheiro porque têm poucos clientes nesse periodo. Mas ao mesmo tempo é-nos dito que o que gostariam de fazer seria baixar o preço dos combustíveis no periodo nocturno, uma vez que isso atrairia clientes e levaria à venda de outros produtos (comida, jornais e revistas, por exemplo), o que, somando tudo, seria muito mais rentável. A esta informação ainda acrescentaram que em média, um posto de abastecimento tem cerca de 30 clientes por noite.
Há aqui muita coisa que não bate certo. 30 clientes por noite??? São estes 30 clientes, ao contribuir com 3 contos por noite (100 paus vezes 30 pessoas), vão tornar as noites rentáveis? E quem vai à bomba de gasolina comprar uma Coca-Cola e umas batatas fritas, também tem de pagar os 50 cêntimos? Porquê (sim ou não)? Esta história está muito mal contada...
0 comentário(s)

segunda-feira, janeiro 10, 2005

De volta!!!

Depois de uma data de dias de férias (quantos foram? 20???), estou de volta às actividades normais. Ou quase. É que nos últimos dias de férias apanhei uma gripe e ainda nao recuperei totalmente. Continuo a achar preferível apanhar uma gripe a tomar a vacina. Odeio agulhas. Estar doente pode nao ser das melhores coisas do mundo, mas também tem as suas vantagens, entre as quais, ter todos os miminhos possíveis. Esta manha finalmente fui ao médico, que me receitou um analgésico a sério (um paracetamol com mais qualquer coisa) e mais umas coisas para a tosse e o nariz. Fico em casa três dias, a nao ser que volte a ter febre, nesse caso tenho que lá voltar para me receitar outra coisa (um antibiótico, suponho eu). Depois de ter tomado 3 comprimidos e 4ml de xarope, dormi umas duas horas e pico, e agora estou como nova... Estou para ver até quando. O meu palpite é por mais duas horas. Depois volto a ficar com dores que nem me posso mexer, nem ficar quieta.
A ver se nestes intervalos em que quase me sinto saudável instalo aqui a interface para o meu novo computador de bolso (nao sei como é que uma coisa daquelas se pode chamar computador, afinal os programas do pc nao servem lá!) para poder copiar uns posts que lá escrevi enquanto estava de férias.
0 comentário(s)

sexta-feira, janeiro 07, 2005

Saldos

Depois de uma semana particularmente cansativa (a primeira semana a seguir às férias de Natal é sempre cansativa... estar acordada e concentrada mais 8 horas seguidas, deixar de comer chocolates e doces, etc.), chegam os Saldos!
Apesar de Sábado, amanha o despertador vai tocar novamente cedo, mas a disposiçao para me levantar da cama vai ser completamente diferente. Vou finalmente poder comprar toda a roupa e calçado que já queria comprar desde Novembro mas que 'a crise' (real ou psicológica) não me deixou comprar!!
Eu vou aproveitar porque depois deste fim de semana só vão ficar os números GIGANTES!
Espero que façam o mesmo.
Bom fim de semana e Boas compras!
0 comentário(s)

terça-feira, janeiro 04, 2005

Gerações e juventude

Enviaram-me este texto por e-mail e não resisti a colocá-lo aqui.

Falando sobre conflitos de gerações, o médico inglês Ronald Gibson começou uma conferência citando quatro frases:

1. "A nossa juventude adora o luxo, é mal-educada, despreza a autoridade e não tem o menor respeito pelos mais velhos. Os nossos filhos hoje são verdadeiros tiranos. Eles não se levantam quando uma pessoa idosa entra, respondem aos pais e são simplesmente maus."

2. "Não tenho mais nenhuma esperança no futuro do nosso país se a juventude de hoje tomar o poder amanhã, porque esta juventude é insuportável, desenfreada, simplesmente horrível."

3. "O nosso mundo atingiu seu ponto crítico. Os filhos não ouvem mais os pais. O fim do mundo não pode estar muito longe."

4. "Esta juventude está estragada até o fundo do coração. Os jovens são maus e preguiçosos. Eles nunca serão como a juventude de antigamente... A juventude de hoje não será capaz de manter a nossa cultura."

Após ter lido as quatro citações, ficou muito satisfeito com a aprovação que os espectadores davam às frases. Então, revelou a origem
delas:

- a primeira é de Sócrates (470-399 a.C.)

- a segunda é de Hesíodo (720 a.C.)

- a terceira é de um sacerdote do ano 2000 a.C.

- a quarta estava escrita em um vaso de argila descoberto nas ruínas da Babilónia e tem mais de 4000 anos de existência.
1 comentário(s)

domingo, janeiro 02, 2005

Bom 2005

Uma rapidinha, só para desejar um feliz 2005!
Depois de ter visto o balanço de 2004 no programa da tarde do canal 1, parece-me que dificilmente 2005 poderá ser pior 2004, aquilo era s'o desgraça atrás de desgraça.
Para ajudar à festa, e segundo uma Auto Hoje que andava por aqui perdida, em 2004 a gasolina subiu mais de 20 vezes, desceu umas 2 ou 3 (sempre menos do que o anterior aumento), e que quem anda a ganhar dinheiro com isso são pessoas que fizeram (ou fazem) parte de governos que prepararam e concluíram o processo de "liberalização" do preço dos combustíveis. A ver vamos como é que vai ser quando for a vez do g'as e da electricidade, mas não auguro nada de bom.

Anyway... Bom 2005!
0 comentário(s)