sexta-feira, maio 04, 2007

Os dentistas são nossos amigos

Dizem que quando se tem filhos, se deve levá-los ao dentista enquanto são pequenos e, de preferência, antes que tenham problemas. Isto para que, de futuro, não tenham medo de ir ao dentista como a maioria dos adultos. Não sei se é verdade, não faço ideia se resulta, e a verdade é que me lembro de passar horas infindáveis da minha infância na sala de espera do dentista, a brincar com a máquina de calcular do meu pai (sobre a qual ele jura a pés juntos que nunca trocou as pilhas, mesmo depois de tantos anos), a brincar com uns discos de plástico que fazia voar por todo o lado, a rebentar balões sem querer, e a comer rebuçados noivos. De vez em quando tinha o privilégio de entrar no gabinete do doutor, que era escuro e tinha um daqueles cães que abanavam a cabeça e que me fascinava. Um dia até tive a sorte de receber uma prenda - um potinho - já nem sei porquê, mas que guardei religiosamente, quem sabe se à espera do dia em que descobrirei para que é que aquilo serve.
Para mim não serviu de nada - não é que tenha medo de ir ao dentista mas a ideia é-me desagradável, e faço os possíveis por tratar bem os dentes para evitar todo o tipo de tratamentos. Não gosto do cheiro nem do barulho dos consultórios e as batas brancas não me inspiram confiança. Isto também se deve aos próprios dentistas, que há mais de 10 anos tentam convencer-me a retirar os dentes do sizo, que apesar da minha idade, ainda nem sequer estão completamente cá fora. Devido a esta disputa pelos meus dentes, mudei de dentista uma data de vezes nos últimos 10 anos, e nunca regresso àqueles que me propõem retirar os meus preciosos dentinhos. Quando ouço falar em arrancar molares, fujo.

Quanto ao meu puto, a conversa é outra. Não o querendo assustar, evito falar-lhe das minhas experiências no dentista (não que sejam tão más assim, é só panca minha). Já o levei diversas vezes as dentistas variados, tanto portugueses como alemães, tanto para fazer coisas que a mim me assustam como extrair dentes de leite, como por razões mais pacíficas como limpar a placa dentária ou analisar algum problema na boca que não implique necessariamente os dentes. E o miúdo nunca teve medo, receio, ou a mais pequena suspeita de que os dentistas não sejam amigos dele. Até porque, no fim de cada visita, recebe sempre um brinquedo, para provar que os dentistas são uns bacanos.
Desde que o miúdo teve um dente a abanar durante um mês, que não saía de maneira nenhuma, que passou a adorar dentistas. É que entre retirar os dentes com linhas e outros métodos "tradicionais" por um qualquer membro da família mais sádico, os dentistas são preferíveis, de longe. Mais meigos, mais eficazes, e acima de tudo, rápidos e não causam dor.

Normalmente só levo o pequeno ao dentista em casos de emergência, ou quando um dente está a abanar há mais de 3 semanas e não cai. Com os dentes, quase tudo é uma emergência. Ora ontem à noite descobri que um dente estava a sair pela gengiva, sem que o dente de leite mostrasse algum sinal de querer sair do sítio. Não abanava nem um bocadinho. Em pânico, eu entro logo em pânico com o meu miúdo, telefonei logo para um amigo dentista, para saber o que fazer. Isto porque à hora a que descobri os dentistas já tinham fechado, senão tinha ido a correr ao mais próximo. Quando contei ao miúdo que hoje de manhã tinha que o levar, ficou todo contente. Fantástico, ir ao dentista em vez de ir à escola. Não que a escola não seja fixe (principalmente os intervalos, ou as actividades extra-curriculares), mas faltar tem um sabor muito especial. Eu que o diga, que quando era miúda cheguei a inventar que não havia escola só para ficar em casa um dia, para saber como era faltar (já que nunca estava doente, tinha que arranjar maneira de fazer as coisas que os outros também faziam). E eu adorava a escola.
Até aqui, tudo bem. É compreensível que um puto prefira alguma alternativa a ir à escola, quanto mais não seja para variar. O mais estranho veio depois. No dentista, o miúdo estava todo contente. Brincou na cadeira, bebeu água, riu-se. A médica começou por lhe ver a dentadura toda para saber o que se passava, e disse-lhe o que ia fazer. Arrancar o dente, e já agora limpar os dentes. E o miúdo na boa. Quando ela lhe pôs a anestesia (para adormecer o dente e não doer), eu quase nem conseguia olhar, a agulha era enorme. e o puto, primeiro estranhou, mas ficou sossegado, à espera. A seguir, fez a limpeza, e o miúdo continuava todo contente. Limpar, mais água, cuspir, e mais risinhos. Como é que isto pode ser, pensava eu. A seguir, o alicate. E eu a pensar, agora é que é, vem aí o drama. Agarrar o dente, puxar, já está. Num instante estava tudo terminado. E o puto ainda a rir. Não posso acreditar que ele é meu filho. Não ter medo é uma coisa, mas ir ao dentista como quem vai a uma festa é no mínimo estranho.
3 comentário(s)

3 Comentário(s):

Isso é óptimo! Assim nunca vais ter aquele drama das idas ao dentista!
Eu também nunca tive medo e ainda fiz umas quantas visitas enquanto miúda! Felizmente tenho os dentes bastante bons e até agora as visitas limitavam-se a limpezas! Agora com o sr sorriso metálico, vou ter que fazer mesmo visitas mensais...o que vale é que...não coisas indolores!

By Blogger Nocas, at 11:01 da tarde  

Não me digas que o rapaz degenerou?...
;-)

Nem me falem em dentistas. No princípio do ano levei a minha filha ao dentista para arrancar os caninos de leite, tal como a ortodontista tinha indicado, e o gajo arrancou. Só que já não eram os de leite, eram os definitivos. Foi erro da ortodontista, claro, que mandou arrancar duas vezes os mesmos dentes, e foi erro do dentista, que resolveu arrancar apesar da diferença na forma dos dentes na radiografia e das minhas perguntas insistentes ("tem a certeza que esses dentes são de leite????").
No fim, quando percebeu a asneira, quis saber se o pai da criança também é estrangeiro.
(Estou tão tão farta do leste da Alemanha...)

By Anonymous Helena, at 8:11 da tarde  

nocas: pois é. Mas é estranho... :)

helena: que horror... e logo os caninos, que fazem muita falta. Vou ter ainda mais cuidado com os dentistas!

By Blogger Snowgaze, at 10:47 da tarde  

Enviar um comentário página inicial