segunda-feira, janeiro 15, 2007

Amadeo

Um senhor, na fila para "a tal" exposição: "sabe, somos portugueses, deixamos sempre tudo para a última." Pois é. E eu que pensava que tinha sido uma exposição relâmpago, que só tinha lá estado dois dias - os dois dias em que ouvi falar nela no telejornal - pois, assim até se compreende que haja bichas de duas horas para ver uma exposição. E ao mesmo tempo pensava, a mim é que não me apanhavam lá, por muito que quisesse ver a tal exposição, duas horas de pé à seca, mais meia hora para comprar o bilhete, isso não é para mim, depois de meia hora de pé à espera já nem me ia apetecer ver exposição nenhuma, concerteza que por essa altura só quereria era ir para casa. E depois de muita entrevista, muita gente nas filas, lá vem o esclarecimento, afinal parece que não, a exposição já lá estava há dois meses, provavelmente passou os primeiros dois meses menos dois dias às moscas, para no final, glorioso, encher completamente e obrigar os senhores do museu a ficar de portas abertas toda a noite no sábado, e até à meia noite no domingo. E estou mesmo a ver, os últimos dos últimos, a chegarem nos últimos minutinhos da coisa, ainda posso entrar? vá lá, eu dou uma vista de olhos rápida, tenha pena de mim que a exposição amanhã já cá não está e esta ocasião pode nunca mais se repetir. E os empregados, um a um, vá lá, mas olhe que isto seja a última vez, à próxima venha antes, e a custo lá vão tentando fechar as portas e mandar as pessoas embora, eles que estiveram ali o tempo todo, desde o primeiro minuto do primeiro dia até ao último minuto, aquele ultiminho mesmo, o dos retardatários insistentes.
5 comentário(s)

5 Comentário(s):

Também vi isso, e também estava convencida de que eram só dois dias, apesar de não entender porquê. Quando ouvi o jornalista dizer que a exposição tinha começado em Novembro nem queria acreditar...

By Blogger edelweiss, at 6:50 da tarde  

Bem, eu, para defender os portugueses, tenho de dizer-vos que há já um mês havia fila ao fim-de-semana, pelo menos meia hora à vontade, e que uma amiga da minha mãe esperou mais de uma hora a 28 de Dezembro....
....
Há muito quem deixe tudo para a última da hora, mas quando os números totais chegarem também se perceberá que há mais portugueses interessados do que o que parece...

By Blogger Rita, at 7:42 da tarde  

Rita: neste caso, eu não tenho assim muita razão, até porque fiz as contas ao número de visitantes e dá uma média de mil e tal pessoas por dia. Mas ainda assim acho estranho, sendo a exposição o sucesso que foi, ter sido apenas notícia nos últimos dois dias. Ou eu é que ando a ver notícias a menos (também é verdade, mas durante as férias vi quase todos os dias e não ouvi nada.
Já agora, alguém imagina os portugueses a aparecer em qualquer lado nos primeiros dias? :)

By Blogger Snowgaze, at 10:00 da tarde  

Eu fui ver a exposição a 26 de Dezembro e não tive fila nenhuma.

Mas por acaso estou admirado em como foi tanta gente à exposição. Pensava que o tuga não era dado a essas coisas.

Pena não ter podido ir ver com as visitas guiadas.

By Blogger ups, at 3:00 da manhã  

Eu fui das tais que só lá pôs os pés mesmo no último dia. E nem sequer foi pela exposição, porque não fazia muita questão de a ver: foi porque me arrastaram e pela piada de ir à Gulbenkian às cinco da manhã. Estava uma filazita, mas nada de especial. Ainda assim, há que dizer que esta foi a segunda exposição mais vista na Tugolândia, logo a seguir à da Paula Rego, em Serralves, com mais de cem mil visitantes. Divididos por dois meses, parece-me uma média simpática!

By Blogger apipocamaisdoce, at 1:31 da tarde  

Enviar um comentário página inicial