sexta-feira, março 31, 2006

Daylight savings time

Desde que a hora mudou que não sou a mesma. Esta hora de sono roubada diariamente, faz-se sentir durante a semana toda, de forma que à hora de levantar ainda estou a morrer de sono, e à hora do almoço estou capaz de adormecer em frente ao computador. Ainda pensei que umas sestas antes do jantar (entre chegar do trabalho e jantar, melhor dizendo) resolveriam o problema, mas não. É oficial, isto de atrasar o relógio não tem piada nenhuma, não tem utilidade nenhuma, e é um sério perigo para a humanidade. Sim, que não há nada mais perigoso do que eu quando estou cheia de sono.
Felizmente é sexta, e não tarda nada horas de ir para casa, dormir uma merecida sesta e aproveitar o fim de semana para dormir tudo, mas mesmo tudo, aquilo que falta. Não vejo a hora de me deitar no sofá.
3 comentário(s)

3 Comentário(s):

Peço licença para esta divulgação:
As televisões portuguesas (e os outros órgãos de comunicação social) têm vindo a censurar documentários e entrevistas passados na CNN e na Fox News. Porque é que as estações nacionais escondem aquilo que os cidadãos americanos têm vindo a saber?
Por isso, para furar este cerco de censura, absurdo, deixo-vos com este artigo, publicado em:
http://sociocracia.blogspot.com ou em:
http://paramimtantofaz.blogspot.com/ e em:
http://wwweditorial.blogspot.com/

(se outros houver outras reproduções, solicito que me informem)

Que confiança podemos ter nas "nossas" notícias, quando nos ocultam factos destes? Que crédito nos podem merecer os nossos meios de comunicação?
Ajudem a furar este cerco censório, que faz de nós um país atrasado, um país do terceiro mundo, sujeito a uma ditadura absurda, controlada por Washington... mais até do que a própria América, divulguem esta mensagem, por favor!

Na semana passada, o actor norte-americano Charlie Sheen (do filme Platoon – Os Bravos do Pelotão, Wall Street) colocou a carreira em risco ao dar duas entrevistas ao activista Alex Jones, nas quais pôs em causa a versão oficial dos atentados de 11 de Setembro de 2001.

Foi desta forma que ele se juntou a um grupo de centenas de personalidades que, nos últimos quatro anos e meio, têm vindo a público afirmar que a versão oficial não só é implausível como impossível, chegando a violar as próprias Leis da Física.

Este grupo inclui Andreas Von Bülow, antigo ministro da Defesa e da Tecnologia da Alemanha e ex-director dos Serviços Secretos Alemães;

Michael Meacher, ex-ministro do Ambiente do governo britânico de Tony Blair;

Ray McGovern, antigo conselheiro presidencial e ex-analista da CIA;

Paul Craig Roberts, Secretário do Tesouro durante o mandato do ex-presidente norte-americano Ronald Reagan e pai da sua política económica;

Robert Bowman, antigo director do Programa de Defesa Espacial Star Wars e ex-coronel da Força Aérea dos EUA;

Steven Jones, Professor de Física da Universidade de Brigham;

David Shayler, ex-oficial do MI5, os serviços secretos britânicos;

Morgan Reynolds, Professor catedrático da Universidade A&M do Texas que integrou o governo do actual presidente norte-americano George W. Bush durante o seu primeiro mandato, e muitos, muitos outros.

No entanto Charlie Sheen fez na semana passada o que ilustres investigadores, professores catedráticos e ex-ministros não conseguiram durante quase cinco anos: furar a censura e conseguir algum tempo de antena num programa da CNN, que transmitiu as suas declarações e expôs milhões de pessoas a factos sobre o 11 de Setembro que têm sido permanentemente ocultados.

Para ler mais e aceder aos "links" consultar um dos blogues referidos

By Blogger Biranta, at 1:32 da tarde  

eu também andei assim a semana toda... eu que acordo sempre fresquinho, parecia que tinha acabado de me deitar, tal era a pedrada... mas agora já começa a passar, digo eu.

By Blogger tiago, at 9:22 da manhã  

eu também ando meia sonolenta, mas daqui a duas semanas o corpo habitua-se aos dias grandes. :)

By Blogger Polliejean, at 8:38 da manhã  

Enviar um comentário página inicial