segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Fim de semana alucinante

Nao queiram ir fazer ski comigo. Eu nao sou perigosa. Nunca acertei em ninguém a grande velocidade. Já dei uns toquezinhos nos infelizes que têm o fado de me acompanhar para as estâncias, mas sempre a baixa velocidade e que nunca originaram dores a ninguém.
Há pessoas que comecam a fazer ski e que sao um desastre. Têm medo de cair, caem a toda a hora, aleijam-se de vez em quando. Uns pontos. Há lá coisa mais divertida do que ver alguém a rebolar pela neve abaixo? Eu que o diga, que semanalmente vejo o meu puto desenvolver uma técnica extraordinária, de cair, escorregar montanha abaixo sentado, e, ainda no processo de cair, pôr-se em cima dos skis e continuar como se nada se tivesse passado. Ele diz que está a fazer uma pausa. Pois... a culpa é toda minha. A minha maior queda até foi bastante divertida. Ia a descer com alguma velocidade, pois em frente tinha uma subida, que eu gostaria de ultrapassar sem ter que utilizar os bracos. Só que estava um bocado de nevoeiro, e portanto nao se via lá muito bem a estrutura da neve. Lá ia eu, a grande velocidade (para os meus standards!) a descer a montanha, comeco a subir, e, como havia uns altos aqui e ali, a abanar toda... até que a parte da frente dos skis se enfiou num desses altos, eu eu caí de frente para a neve. A minha cara nunca esteve tao fresquinha. Felizmente nao me magoei, e nao ganhei nenhum medo em particular... para além do que já tinha.
É que estas montanhas sao inclinadas. Muito inclinadas. E muitas vezes, ao lado das pistas (de uns metros de largura), há uns precipícios que metem medo a quase qualquer um. E eu nao tenho pressa nenhuma de morrer, nem vontade de partir um braco, uma perna, ou ambos os bracos ou pernas. Só ontem, na Suíca, houve 100 acidentes de ski. Todos os fins de semana há pessoas sao evacuadas de helicóptero das montanhas. Por muito divertida que possa ser uma viagem de helicóptero (e a atencao extra!) nao me parece uma boa maneira de terminar o fim de semana. É que normalmente estas coisas levam umas semanas a curar, para além de imensa gente ter partes do corpo danificadas para sempre. E eu gosto muito de desporto, em geral, para estar a dar cabo do único corpo que tenho, definitivamente.
De qualquer forma, por um motivo racional ou por um medo irracional, a verdade é que, ao contrário de algumas pessoas, eu nunca tirei os skis e subi a montanha a butes, de volta às cabines. No entanto já levei mais de meia hora a descer montanhas que outras pessoas descem em 5-10 minutos. Claro que o miúdo se diverte a inventar novas maneiras de esperar por mim. Cair de maneiras inovadoras, por exemplo.
Eu muito raramente caio. E quando caio, porque um ski se meteu debaixo de outro e eu estava distraída a olhar para a nova maneira de cair do meu filhote (e a babar-me toda...), demoro um pouco a levantar-me e a seguir caminho. Tanto que, quando finalmente me ponho de pé, já nao vejo a minha gente. E aí, sinto-me perdida. Mas onde é que eles se meteram? Por onde é o caminho? (Para baixo, directamente para baixo...)
O que eu acho mais extraordinário de tudo, é quando chego ao fim de uma pista (ou páro a meio) e olho para cima. Eu desci aquilo tudo? Aquela montanha tao inclinada? Quem é que foi o doido que me obrigou?
Sim, enquanto estava lá em cima, aquilo também parecia inclinado e assustador. Por isso é que deixei de olhar para baixo. Eu desco as montanhas metro a metro, com calma, e muita forca de pernas. É por isso que chego a segunda feira a precisar desesperadamente de um fim de semana.
1 comentário(s)

1 Comentário(s):

és a minha heroína! tenho a ligeira sensacao que eu seria um zero à esquerda a andar de ski. nao sei bem porquê...

By Blogger Polliejean, at 8:45 da tarde  

Enviar um comentário página inicial