sexta-feira, outubro 21, 2005

Segurança

A propósito disto, reproduzo aqui o meu post do Portugal no Mundo que escrevi há uns tempos.

Uma das coisas que mais me choca, ao comparar Portugal com a Alemanha, é a segurança que se sente num país e noutro. Nos últimos anos em que vivi em Portugal, o meu carro foi assaltado várias vezes, e roubaram-me a carteira em pleno restaurante, os pedintes nas ruas aumentaram exponencialmente, e a polícia cada vez mais mostrava-se impotente para alterar a situação. Aliás, cheguei a ouvir uma senhora queixar-se de que lhe tinham assaltado o carro durante a hora do almoço, carro esse que tinha sido estacionado mesmo em frente à polícia judiciária!
Comentários do género "não podemos fazer nada", "nós sabemos quem são, mas não podemos fazer nada", ou "não temos polícias suficientes na esquadra" por parte dos próprios agentes da autoridade eram normais na zona onde eu vivia. Ainda hoje, ouço amigos e conhecidos queixarem-se de que os carros continuam a ser assaltados ou mesmo roubados, e que eles próprios são assaltados por grupos de marginais se andarem/quando andaram na rua à noite.
Em Munique (não vou falar da Alemanha em geral porque não conheço toda a Alemanha), a situação é diametralmente oposta. Há imensos polícias na rua, e as pessoas sentem-se em segurança. As pessoas não têm medo de andar sozinhas na rua à noite. Os carros de alta cilindrada são deixados estacionados nos passeios. Descapotáveis são deixados totalmente abertos.
Na semana passada o meu filho perdeu a carteira. Durante o fim de semana, alguém me telefonou a explicar que tinha a encontrado, e que ma enviaria pelo correio. Fiquei sem palavras. Passados dois ou três dias, a carteira estava na caixa de correio com o conteúdo intacto.
Aqui as pessoas brincam comigo por às vezes me preocupar com certas coisas. Se eu disser que não me lembro se tranquei o carro, dizem logo, estás em Munique, não te preocupes, que não acontece nada! E na verdade, já deixei o carro aberto algumas vezes, um dia inteiro, ou uma noite inteira, e nada de mal aconteceu.
Os pais mandam os miúdos para a escola nos transportes públicos, sozinhos, desde bem pequenos. Ainda me custa ver isto, parece-me de uma irresponsabilidade tremenda, mas pelos vistos não é tão mau como isso.
Em Munique há pouquíssimos pedintes. Não há niguém a incomodar-nos em cada semáforo, não há "arrumadores" a quem pagar pela paz de espírito e segurança da pintura do automóvel. Tenho algum cuidado com o sítio onde ponho o porta-moedas, mas não é nada comparado com os cuidados que sinto que tenho que ter em Portugal.
Em conclusão, a Alemanha não é, certamente, o paraíso. Com certeza que há alguns assaltos, mas o sentimento é de segurança, principalmente em Munique, que é uma cidade maior que Lisboa. Para mim, isto tem um valor incalculável.
Em Portugal, não me sinto em segurança nas grandes cidades, principalmente em Lisboa e no Porto. Por experiência própria e alheia, não me sinto segura. Não vejo serem tomadas medidas que alterem a situação, e na verdade parece-me que em vez de melhorar, o nível de segurança tem-se vindo a degradar. Posso estar enganada. Por isso falo em "segurança percebida", e não apenas em "segurança". Este é um dos aspectos mais importantes que gostaria de ver melhorar significativamente no meu país, para o bem de todos.
5 comentário(s)

5 Comentário(s):

Nestes casos, a polícia que temos, com os vícios que tem, não faz parte da solução... mas do problema. Muita coisa tem de mudar (também ao nível da exigência e responsabilização) neste tipo de instituições, para se resolverem estes problemas. Não podemos fazer nada???

By Blogger Biranta, at 3:22 da tarde  

Percebo-te muito bem. Aliás, acho que a segurança é das coisas em que noto mais diferença entre viver em Lisboa e no Luxemburgo ou na Bélgica (se bem que estes dois possam ser considerados o paraíso na terra em termos de segurança). E ainda estou só na fase de re-habituação da situação, a tentar manter-me alerta para o que pode aí vir. Mas é claro, se se estiver no sítio errado, à hora errada, não há muito a fazer. E o mais triste é que a polícia, de que até hoje não tenho nenhuma razão de queixa, não me dá confiança nenhuma de poder melhorar a situação...

By Blogger tiago, at 11:09 da manhã  

Bom, não contesto este texto na sua maioria mas gostava de chamar a atenção que a Alemanha alimenta o mercado de carros roubados na Polónia, à grande e à francesa. Rouba-se muito e bom carro na Alemanha. E conheço um casal no Luxemburgo a quem lhes roubaram o carro à porta de casa. Nunca mais o viram. Quanto ao resto, a sensação de segurança confirmo-a, pelo menos em Colónia e em Hamburgo, o resto não conheço.

By Blogger Portuga, at 10:28 da manhã  

Biranda, só se fizermos à moda antiga e enchermos esses gunas de "porrada"! Desculpem o linguajar...

By Blogger BloodyLiLith, at 12:08 da tarde  

Desculpa, Biranta...

By Blogger BloodyLiLith, at 12:09 da tarde  

Enviar um comentário página inicial