quinta-feira, outubro 27, 2005

É pr'à chuva, é pr'à chuva!

Até custa falar de chuva com um tempo maravilhoso destes (sol, 21 graus), mas lembrei-me de uma coisa da qual queria falar já há uns tempos.
Parece que em Portugal está a chover, ou melhor, vai chovendo. Por acaso no outro dia até reparei nisso, estava a ver um jogo de futebol do Porto e os rapazes que corriam atrás da bola pareceram-me mais suados que o costume... na verdade estavam mesmo encharcados, e não eram lágrimas não, era mesmo a tal de "chuva" que diziam tinha abandonado o nosso país.
Adiante... há uma característica dos países do sul da Europa (digamos, pelo menos Portugal e Itália), eventualmente menos ricos mas nem por isso menos organizados (e já vão ver porquê) que me faz imensa falta por aqui. É a habilidade para o negócio. Os mercadores de rua que de repente vêem uma oportunidade a agarram-na logo a seguir. Em Portugal, quando chove, há logo uma data de gajos munidos de guarda-chuvas que começam a anunciar "é pr'à chuva, é pr'à chuva, é a mil, é a mil" (bem, não sei se já mudaram para euros, mas quando vou a Portugal, e são muitas vezes, tenho a sensação que o euro por lá é um pró forma, porque toda a gente continua a pensar em escudos, em paus e em contos, e os euros são sempre multiplicados por 200 (ou dividido por 5, para quem gosta mais dos "contos") para se conhecer o verdadeiro valor de qualquer mercadoria). Esses gajos fazem falta na Alemanha. Aqui, quando chove não aparece ninguém com espírito de negócio, que queria trocar um guarda chuva, um plástico protector que seja, por umas moedas de euros. Não há espírito empreendedor, que veja que há uma necessidade óbvia que não está a ser preenchida, e que se pode ganhar dinheiro com isso.
Provavelmente por isto, eu ando sempre sem guarda chuva. Quando chove, molho-me, mas como normalmente só chove a sério no Verão, não é muito grave. No Inverno, como não chove (neva), não é preciso guarda-chuva para nada. Nesses dias às vezes fazia falta era um gorro ou umas luvas, quando me esqueço deles em casa. Mas num dia como hoje, faziam falta eram uns tipos a vender óculos de sol.
3 comentário(s)

3 Comentário(s):

Sobre tempo instável no futebol:
à algumas semanas atrás fui ao Dragão ver o Portugal - Letonia. Quem viu na televisão nem deu por isso mas no intervalo caiu uma batega de água monumental que até chovia nas bancadas. Direito a trovoada e tudo! Acho que o S. Pedro também anda metido no futebol e se calhar é Letão pois devia estar a queixar-se da qualidade do jogo dos gajos de Leste. De notar que 3 minutos antes da segunda parte começar a chuva parou.

E quanto aos guarda chuvas, com o vento que também está ainda é pior. Perde-se mais tempo a lutar contra o vento do que a proteger da chuva. Sou adepto de apanhar molhas a andar do guarda chuva.

By Blogger ups, at 2:40 da tarde  

estarás a falar mais especificamente do Porto do que no geral, suponho?
Essa cena de vender guarda-chuvas perante as circunstancias adequadas já me safou uma ou duas vezes! Na maioria dos casos, apanho chuva afinal nao somos feitos de aCucar :)

By Blogger Minhoca,a verdadeira, at 3:15 da tarde  

Eu acho que nem vale a pena andar com guarda-chuva quando está vento, é necessário comprar um por dia porque ficam uma miséria, por mais caros ou baratos que tenham sido...

By Blogger BloodyLiLith, at 4:53 da tarde  

Enviar um comentário página inicial