quinta-feira, setembro 22, 2005

Portugal no coração

À medida que o tempo passa, e me vou habituando a este país, à gente que por cá anda, às regras para tudo e alguma coisa, deixo de ter saudades de um conceito global de Portugal. Não é que não tenha saudades, claro que tenho. Mas são saudades de coisas específicas. Da família, dos amigos. De certos cafés, em certas cidades, de algumas lojas, em algumas cidades. Daquelas paisagens, daquelas praias. Dos lanches de inverno de torradas e chá com as manas, dos lanches nos cafés da baixa de Coimbra ou do Porto. De andar às compras na baixa de Coimbra. Dos shoppings do Porto. Das lojas de Lisboa. Da zona da Expo. Da praia da Rocha. De Milfontes e da gelataria franchisada que lá tem, e da feira do livro que fazem no Verão. Das noites de Karaoke em à beira da praia, onde íamos sem os nossos pais saberem.
Hoje em dia tenho saudades de recordações, e de algumas coisas que posso repetir. E sempre que posso volto às que posso repetir. E essas continuam a ter o mesmo sabor familiar. Claro que se pode voltar a ser feliz onde já se foi feliz. Ou ainda, pode-se continuar a ser feliz onde já se foi feliz.
5 comentário(s)

5 Comentário(s):

O que está a dar é reciclar!!!!

Muito fácil..., é só meter essas saudades no reciclador especifico – acho que é o que está pintado com as cores do arco íris - e....do outro lado nascem saudades novas. Saudades do futuro. Experimenta!!!

By Blogger Pedro Soares Lourenço, at 9:54 da manhã  

Que bonito....

By Blogger BloodyLiLith, at 5:35 da tarde  

Eu por acaso, e de acordo com a minha experiência, já comprovei q n se deve voltar onde se foi feliz... Mas isso sou eu!

Beijito da Zona Franca

By Blogger Freddy, at 9:30 da tarde  

Cada pessoa sua sentença. Adoro voltar a locais onde fui feliz, e às vezes mesmo aqueles onde não fui tão feliz.

Recordar é viver...

Adorei o post. Os sentimentos quando se está longe de coisas que sempre nos foram tão banais às vezes é confuso. Que falta me faz ir para a beira rio/mar na Foz do Douro...

By Blogger Rui Guimarães, at 12:35 da tarde  

Rui: não me fales da Foz nem do mar, que puxo já do lenço... O mar é outra das coisas de que tenho mesmo saudades, e nem sequer há substituição possível! chuif!

By Blogger Snowgaze, at 2:01 da tarde  

Enviar um comentário página inicial