quinta-feira, setembro 29, 2005

The Full Cupboard of Life

Nao tenho por hábito sublinhar livros. Nem marcá-los de qualquer forma que seja. Os meus livros nao têm cantos dobrados. Por estas e outras razoes, posso ler alguma coisa que me marque, pela positiva ou pela negativa, mas raramente a partilho. A ideia de ler um livro sublinhado por outrem agrada-me, como conceito pelo menos, já que até hoje nunca aconteceu.

Este fim de semana acabei de ler mais um livro do Alexander McCall Smith, da série da "Agência n.1 de mulheres detectives". Mais uma vez, adorei. E desta vez, marquei duas páginas com dois papéis de rebuçado, que deitarei ao lixo mal acabe de transcrever as duas ou três frases que me apeteceu partilhar aqui mesmo, sem ter que sublinhar o livro e emprestá-lo.

"Why did people behave this way with entertainers? What was so special about them? And then she stopped, for she had remembered about Note Motoki and her own feelings for him all those years ago when she was hardly older than these girls. And that memory made her humble; for we should not forget what it is to be young and to have ideas and attitudes that may later seem so fanciful."

"[...] when people ask for advice they very rarely want your advice and will go ahead and do what they want to do anyway, no matter what you say. That applied in every sort of case; it was a human truth of universal aplication, but one which most people knew little or nothing about."
3 comentário(s)

3 Comentário(s):

gosto de livros marcados. gosto de pensar que um excerto nos revela sensibilidades, onde não as sonhamos.

os meus livros estão todos sublinhados e cheios de cantos dobrados. acho que é também por eles que me vou conhecendo. :)

By Blogger Joana, at 10:59 da manhã  

Gostei muito da segunda transcrição, no fundo acontece muitas vezes...

By Blogger BloodyLiLith, at 11:29 da manhã  

eu sublinho e guardo varias coisas dentro deles, bilhetes de embarque, papelitos (as vezes de rebucados tambem) fotos, cartas e assino sempre o livro quando o comeco a ler com a data e o lugar onde o comecei a ler.
assim em cada livro que pego e abro, encontro um pouco de mim e as surpresas que encontro da para rever o percurso ja passado... as vezes da nostalgia outras vezes vontade de rir... enfim uma outra forma de se relacionar com os nossos livros.

By Blogger Nic, at 2:08 da tarde  

Enviar um comentário página inicial