terça-feira, agosto 30, 2005

Insectos

Não percebo lá grande coisa de insectos. Sei que deviam viver no campo, mas na realidade são uns bichos extraordinários que aparecem por todo o lado.

As moscas em particular, fazem-me alguma confusão. Não sei porquê, volta e meia invadem o local a que chamo "casa". Isso não seria nada de especial, se as moscas fossem normais. Mas estas são tamanho gigante, pretas, duras (sei porque as ouvi bater contra os vidros), barulhentas... e nojentas.

A culpa deve ser minha. No tempo da chuva, matei ou expulsei de casa todas as aranhas que encontrei. Algumas eram bem grandes e gordas. Agora que aparece o Verão (veio no domingo, incrível!) as moscas entram por todas as portas e janelas entreabertas. E com as moscas, vêm também abelhas e vespas.

Em dias de sol como estes, a minha casa é invadida por toda a espécie de insectos. "Minha" casa, é como quem diz, eu tenho a impressão que a casa é mais deles que minha, e que a razão pela qual voltam de cada vez que o sol brilha, é para me expulsar e ocupar o local que legitimamente lhes pertence. No entanto, enquanto eu tiver força para empunhar um mosquiteiro, as coisas não serão bem assim.

Há uns dias, estas bestas não me queriam deixar dormir. Eu ainda perdoo àqueles insectos que se restringem a outras áreas que não o quarto, mas a minha hora de dormir é sagrada, e não é nenhuma mosca gigante que a vai importunar. Tive que declarar guerra. E não foi um espectáculo bonito. Umas moscas estavam meias sonolentas, e foram rapidamente dizimadas. Umas vespas/abelhas (ou lá o que eram aqueles insectos amarelos com riscas pretas, ou seriam pretos com riscas amarelas) ainda conseguiram escapar, mas outras foram condenadas à morte.
Resumindo, o que aconteceu foi um massacre. No meio desta carnificina, safou-se um exemplar de joaninha, que tinha a particularidade de ser de cor castanha clara e amarela, em vez do habitual preto e vermelho. Essa teve direito à liberdade, mas ainda assim, foi expulsa da janela onde se passeava.

Mas o animal que mais me fez sofrer foi uma mosca de tamanho normal, que decidiu atormentar-me a noite toda. Nunca tinha tido contacto com uma mosca tão atrevida. Tão atrevida, tão atrevida, que me tentou entrar pela narina acima (não estou a exagerar!). Tive que fungar com força para a monstra sair da minha narina. Mas nem depois da fungadela a mostrenga desistiu. Aproveitou as sombras, e saltitou de um dos meus pés descalços para o outro. Aí é que foi a última gota. Depois de tantos ataques, teve o destino que merecia - acertei-lhe com o mosquiteiro - à primeira - e depois mandei-a pela sanita abaixo, just in case... esta já não me volta a chatear.
2 comentário(s)

2 Comentário(s):

E onde é que posso contratar os teus serviços?? Sim porque nao estou a ver nenhuma empresa de desinfestação mais eficiente que tu eo teu mosquiteiro! Eu adoro massacres!

By Blogger Paulita, at 4:15 da tarde  

Não há condições de trabalho. Eu deveria estar séria enquanto espero que os testes correm mas não... estou aqui a tentar manter os cantos da boca quietos, a tentar controlar os olhos e a morder-me toda para não desatar a rir...
Mas afinal onde é que andaste o dia todo? Tenho um visitante da Holanda e não apareces para eu te poder contar????

By Blogger BloodyLiLith, at 4:29 da tarde  

Enviar um comentário página inicial